Artigos - Desenvolvimento Rural

“O doce mais doce” este é o artigo da Gestora do APL Vanessa Daltoé

Vanessa Daltoé (Foto: Diuvlgação)
Vanessa Daltoé (Foto: Divulgação)

É hora do café da manhã. Doce, geleia ou chimia – você sabe o que está passando no pão?

A legislação brasileira define geleia de fruta como o produto obtido pela cocção de frutas (inteiras ou em pedaços), polpa ou suco de frutas, adicionado de açúcar e água, concentrado até atingir consistência gelatinosa. As geleias podem ser comum (60 partes de açúcar / 40 partes de frutas ou no caso de marmelo, laranja e maçã 65 partes de açúcar / 35 partes de frutas) ou extra (quando preparadas com 50 partes de frutas / 50 partes de açúcar) (BRASIL, 2016).

Doce em pasta, por sua vez é o produto resultante do processamento de partes comestíveis de vegetais, adicionada de açúcar e faculta-se a adição de água, pectina, regulador de pH e outros ingredientes ou aditivos (desde que permitidos) até que se obtenha uma consistência apropriada. Quanto a consistência, os doces em pasta podem ser classificados em cremoso (quando homogêneo e de consistência mole) ou de massa (quando possível o corte – bananada, goiabada, etc.) (BRASIL, 2016).

Em outras palavras, popularmente diz-se que a geleia é produzida com o suco das frutas, cozido em calda e o doce cremoso é produzido com a fruta (inteira ou em pedaço) e pode apresentar pedaços das frutas no produto final. E a chimia, o que é afinal? Calma, eu explico. A palavra chimia nada mais é que a versão “abrasileirada” da palavra Schmier do verbo em alemão Schmieren, que significa “passar” algo em outro ou seja, passar geleia no pão, passar doce cremoso no pão. Esta expressão é utilizada principalmente na região sul do Brasil, pelos descendentes dos imigrantes europeus como, por exemplo no nosso Vale do Taquari.

Atualmente é possível observar uma nova tendência: as geleias gourmet. Destinadas ao uso culinário, preparo de molhos, recheios e temperos, levam em sua composição especiarias como pimenta e gengibre, ou ainda aguardente (cachaça). Independente do sabor, são produtos muito apreciados, mas, além disso as geleias e os doces, assim como as compotas, são uma excelente forma de conservação das frutas.

No APL de agroindústrias familiares do Vale do Taquari temos diversas agroindústrias que produzem geleias e doces cremosos, ou Schimier . O fato é que independente da expressão utilizada, são produtos de qualidade, elaborados com matéria-prima selecionada e produzida pelos próprios agricultores. Os sabores são variados, desde os tradicionais até os mais exóticos como figo, goiaba, morango, abóbora, abóbora com laranja, laranja, amora, amora com pimenta, abacaxi com gengibre, frutas vermelhas, pêssego, uva, mirtilo, fisális, tomate, erva-mate, hibisco e muitos que ainda estão por em desenvolvimento.

Se você ficou curioso e quer conhecer algum desses produtos poderá conferir no espaço da agroindústria familiar das inúmeras feiras que irão acontecer ao longo do ano, entrar em contato com o APL AF VT pela fanpage ou pelo site e então visitar as agroindústrias e conferir de perto a produção.

Uma ótima semana a todos, e até a próxima!

REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO
BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/legislacao>. Acesso em: 17 de Jan. 2016.

 

Vanessa C.B. Daltoé
Gestora | APL – AF Vale do Taquari