Arte RS RSS Muçum

Oficina Terapêutica de Teatro emocionou público na noite de sexta-feira

Peça foi elaborada pelos próprios participantes (Foto: Luís Gustavo Bettinelli)

A Oficina Terapêutica de Teatro encerrou as atividades de 2018 na noite de sexta-feira (7), com uma peça que transmitiu muita emoção ao público que prestigiou o espetáculo no auditório da Escola Estadual de Ensino Médio General Souza Doca. A peça “O Mistério da Rua 5”, foi criada e desenvolvida a partir dos desejos dos 11 adolescentes que participam do projeto, desenvolvido no município há quatro anos, com recursos destinados pela Administração Municipal e por meio de uma parceria com o Governo do Estado.

Através deste, procura-se desenvolver um trabalho voltado a criação de formas mais saudáveis de relação dos adolescentes com a família e comunidade, promovendo a prevenção da saúde. Os encontros são coordenados pela psicóloga Camila Vian; agente comunitária de saúde, Jusimara Rosolen; assistente social, Ana Paula Scariot; e oficineiro Daniel Burgardt. “Temos uma excelente equipe, que desenvolve um trabalho que vai além do convencional. Entendemos que a atenção e os cuidados devem chegar ao público das mais variadas formas e a oficina é um dos projetos que tem esse objetivo”, explica a secretária de Saúde, Roseli Di Domenico.

A noite teve ainda a presença do vice-prefeito, Lauro Fronchetti, que destacou a importância de projetos do gênero para a formação dos jovens. “Em uma sociedade tão problemática por diversas adversidades sociais, este amparo é obrigação do Poder Público”, disse. A oportunidade foi aproveitada por pais e responsáveis que, com muita emoção, agradeceram os envolvidos e relataram perceber melhora comportamental dos jovens, assim que ingressaram na oficina.

E, são eles, os integrantes do programa, que definem a iniciativa como um ambiente receptivo, onde, inicialmente, procurava-se apenas por ajuda profissional, mas, no entanto, formou-se um grupo de amigos, os quais compartilham momentos de conforto e compreensão. “Somos gratos em fazermos parte desta turma, onde não existem julgamentos. Mas, sim, muito apoio, independentemente de qualquer circunstância”.

Para os protagonistas, a peça foi de grande significância, pelo envolvimento aprofundado que cada um teve em sua elaboração. Os mesmos relatam ainda um sentimento de satisfação e gratidão pelo empenho dos coordenadores. “Somente quem nos acompanha de perto, sabe o quão difícil foi chegar até aqui. Agradecemos também a todos que nos prestigiaram nesta noite”. O grupo aproveita a oportunidade para lamentar a despedida do oficineiro Daniel para o ano de 2019, apesar de definir o momento como um “nos vemos nas esquinas da vida”. Apesar disso, em seu pronunciamento, Roseli garantiu os esforços do governo de Muçum para a permanência dos trabalhos no próximo ano.

Texto: Ascom Muçum