Social Forquetinha

Oficina terapêutica debate saúde mental

Liége destaca a importância de acolher as pessoas com doenças mentais e emocionais

O Dia Nacional da Luta Antimanicomial, comemorado em 18 de maio, foi tema da oficina terapêutica da saúde “Bem Viver”, coordenada pela psicóloga Liége Bernsmüller, enfermeira Maitícia Noll e oficineira Rosângela Duarte.

Conforme Liége, assim como todo cidadão, as pessoas em sofrimento mental, tem o direito fundamental à liberdade, de viver em sociedade, receber cuidado e tratamento.

Durante o encontro foi assistido o filme “Nise – o coração da loucura”, baseado na biografia da psiquiatra Nise da Silveira. Na época ela rebelou-se contra técnicas da psiquiatria, como o uso de violentos choques para “ajustar” as pessoas e propôs um tratamento humanizado através da arte para reabilitar pacientes.

“O objetivo das oficinas é favorecer a prevenção de doenças mentais e emocionais, a melhora dos sintomas e a criar um espaço de acolhimento e amizade. Fazemos isso através de trabalhos manuais, dinâmicas, rodas de conversa e muito afeto”, observa.

 

Foto divulgação
Assessoria de Imprensa de Forquetinha