Cultura Educação Cruzeiro do Sul

Onde a leitura não fica congelada

Geladeiroteca desperta o maior relacionamento com os livros

Há cerca de um mês a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Jacob Sehn, do bairro Glucostark, em Cruzeiro do Sul, tem presente no saguão do educandário um espaço diferente para o estímulo a leitura.

A chamada Geladeiroteca era uma ideia, de acordo com a coordenadora pedagógica Celoni de Freitas, que vinha desde o início deste ano, contudo, foi concretizada já quase no final deste período letivo. “Demorou, mas ficou pronta e está funcionando muito bem”, revela.

O espaço foi possível graças a doações de pais e ajuda do Circulo de Pais e Mestres (CPM). “Os paletes para a confecção de um balcão e duas poltronas foram doados pela mãe de uma aluna e a geladeira pelo pai de outro estudante. Os livros também são em sua maioria frutos de doação”, destaca a coordenadora. A montagem e pintura dos paletes e a personalização da geladeira ficou a cargo do CPM. “Os assentos foram feitos com colchonetes que iriam para o descarte, os quais foram encapados. Inclusive utilizados estampas do artista Romero Brito”, explica Celoni.

Ainda conforme a coordenadora pedagógica, o resultado com a nova opção de leitura está sendo extremamente satisfatório, tendo em vista que diariamente os alunos aproveitam o espaço em seus períodos de intervalo. São obras que vão desde os anos iniciais ao 9º ano. “Inclusive, a organização dos livros é feita pelos próprios alunos. Por vezes também flagramos os pais com seus filhos aproveitando o espaço”, comemora.

O educandário segue aceitando a doação de livros para incrementar ainda mais sua Geladeiroteca. Celoni lembra que a Escola já teve o contato de uma escritora que pretende vir até o local, trabalhar a importância da leitura com os alunos e fazer a doação de obras.

 

 

Fotos: Marcio Steiner
Assessoria de Imprensa de Cruzeiro do Sul