Artigos - Educação

Os 10 mandamentos do consumo consciente – por Luciano Fontana

A maneira como consumimos é que é importante (Foto: Reprodução/Google)

Consumir é um ato que todos nós praticamos, seja consumindo produtos ou serviços, mas a maneira como consumimos é que é importante.

É necessário aprendermos a comprar bem, esquecermos de querer viver uma vida baseada em status e sempre nos questionamos se o produto que desejamos realmente é importante para a nossa vida.

Mas mais do que falar em consumo consciente, é praticá-lo. Por isso, separei os dez mandamentos do consumo consciente para você colocar em prática hoje mesmo.

O amor ao seu dinheiro deve ser maior que o amor em gastá-lo

Você deve valorizar o dinheiro que ganha e evitar usá-lo de forma descomprometida. Lembre-se que “o dinheiro que sai do seu bolso não volta mais”, então você deve escolher bem como irá gasta-lo.

Não tomar empréstimos em vão

Você precisa planejar antes de gastar. Evite, se possível, empréstimos  ou parcelamento com juros altos; afinal, o valor dos juros encarece a sua compra.

Guardar parte do que você ganha antes de gastar em lazer e festas

O princípio aqui é pagar-se primeiro. Antes de sair gastando todo seu dinheiro, você separa um valor para colocar num fundo de reserva ou aplicação. Não precisa abrir mão de todos momentos de lazer, apenas pense nas melhores escolhas. Lembra do mandamento 1?

Honrar os seus rendimentos

Quando você gasta seu dinheiro com qualquer coisa de qualquer jeito, demonstra ao universo que não está honrando o seu esforço em recebê-lo. E isso pode ser um gol contra na sua vida. Faça valer cada esforço seu com planejamento e sabedoria.

Não desperdiçar

O desperdício é o inimigo mortal do consumo consciente. Geralmente desperdiçamos boa parte do nosso dinheiro quando não temos nenhum tipo de organização financeira, planejamento ou propósito de vida definido e claro.

Não pecar contra o consumo consciente

“Sempre que uma pessoa procura um prazer a curto prazo, vai ter um sofrimento a longo prazo”. Saber buscar o equilíbrio entre desejo e necessidade é fundamental.

Não comprar por impulso

Devemos ter o cuidado de não comprar apenas pela emoção do momento. Saber usar o seu dinheiro de maneira consciente e equilibrada trará muitos benefícios para sua vida.

Não criar desculpas

Se o seu salário termina bem antes do fim do mês ou se não consegue pagar todos os seus compromissos mensais, de nada adianta ficar reclamando ou criando desculpas para si mesmo. Busque soluções como usar uma planilha de controle financeiro, cortar gastos supérfluos, aumentar sua renda com uma atividade extra, entre outras.

Não se tornar refém das marcas

Você não encontra qualidade somente em marcas consagradas. Há muitos produtos de mesma qualidade por um preço bem mais em conta. Prenda-se a qualidade e não à “etiqueta do produto”.

Não consumir apenas como um ato individualista

“O SER deve estar acima do TER”. Devemos valorizar muito mais a nossa essência como seres humanos e cidadãos do que as posses individuais. O ato de consumo pode envolver o interesse de outras pessoas como nossa família, amigos e sociedade. Irresponsabilidades com o dinheiro podem afetar de modo grave a vida deles. Portanto, aja sempre de modo responsável e com uma visão ampla.

Luciano Fontana é empresário e fundador da Lume Centro de Educação Profissional. Apaixonado por educação e finanças tem como objetivo ajudar as pessoas na transformação da sua vida financeira.