Artigos - Desenvolvimento Rural

“PANC’s: a importância das plantas alimentícias não convencionais” – por Tatiane Turatti Orlandini

Tatiane Turatti Orlandini (Foto: Divulgação)
Tatiane Turatti Orlandini (Foto: Divulgação)

Plantas alimentícias não convencionais (PANC’s) são aquelas que a maioria das pessoas não se dá conta de sua função como alimento. Muitas, inclusive, são consideradas matos ou ervas daninha por crescerem espontaneamente nos quintais, campos e beiras de estrada. Mais conceitualmente pode-se dizer que as PANC’s são recursos alimentares não convencionais que presentes na alimentação, contribuem para a autonomia das famílias e garantem soberania e segurança alimentar e nutricional 1.

Alguns exemplos de PANC’s conhecidas no Rio Grande do Sul são: o dente-de-leão, o mestruz, o agrião de água, a serralha, a língua de vaca, a tansagem, o trevo azedo, o pepino do mato, a orapronóbis, o crem e a capuchinha 2. Também podemos considerar como PANC’s algumas plantas comuns, como a bananeira, por exemplo, porque acabamos restringindo seu consumo à fruta, jogando fora as outras partes comestíveis como o coração e os frutos verdes.

Esses são alguns exemplos, no entanto, sabemos que o Brasil é um país muito rico em agrobiodiversidade e as PANC’s fazem parte desse universo, podendo estar presentes na mesa dos brasileiros como fonte de alimento saudável e nutritivo, porém muitas vezes são esquecidos ou negligenciados.

Estima-se que 35 mil espécies tenham potencial comestível, e hoje 90% da nossa comida vem de 20 espécies somente, mostrando que consumimos menos de 0,04% da biodiversidade. Vale ressaltar que somente na região metropolitana de Porto Alegre o pesquisador Kinupp3 encontrou 311 espécies comestíveis. Além disso, sabe-se que 25% da flora de qualquer bioma é comestível, quebrando mitos de que existem regiões pobres em alimentos.

A valorização das diversas fontes alimentares vegetais é de extrema importância já que elas são fontes de vitaminas, sais minerais e fibras, que são essenciais para a manutenção da saúde do organismo. Eles também são importantes pela diversidade de nutrientes, de sabores, de texturas e pratos. Nesse sentido as PANC’s são extremamente importantes para a variação da nossa dieta, sendo muitas vezes mais nutritivas que os alimentos convencionais, a exemplo das urtigas e mamão-do-mato, que possuem de 3 a 5 vezes mais cálcio que o espinafre, considerado fonte vegetal.

As PANCs são, em sua maioria, rústicas e portanto adaptadas ao clima, tendo baixa necessidade de água e adubação. Além disso, não é necessário a utilização de agrotóxicos, pois ela é adaptada e conta com controle biológico, decorrente de ambientes biodiversos. Em resumo, tem fácil manejo e cultivo.

A Lei da Segurança Alimentar e Nutricional (Lei nº 11.346, de 15 de julho de 2006) fala sobre “A realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras de saúde, que respeitem a diversidade cultural e que sejam social, econômica e ambientalmente sustentáveis”, indo ao encontro da proposta das PANC’s4.

Isso quer dizer que, além de trazer uma alimentação mais diversificada e econômica, a popularização do consumo de PANC’s pode significar segurança alimentar, principalmente para as populações mais carentes. Além de autonomia para quem não que limitar sua alimentação à variedade de alimentos disponíveis hoje nos mercados locais.

Fontes:

1 – FILHO, G. X. P. Agroecologia e recursos alimentares não convencionais: contribuições ao fortalecimento da soberania alimentar e nutricional. Campo-Território: revista de geografia agrária, v. 10, n. 20 p. 227-245, jul., 2015.

2 – Agrobiodiversidade e Segurança Alimentar no Vale do Taquari: plantas alimentícias não convencionais e frutas nativas. Monografia de Conclusão da Especialização em Gestão da Qualidade no Processamento de Alimentos da Universidade do Estado do Rio Grande Do Sul. Autora: REJANE GIACOMOLLI POLESI. Orientadora: Dra. Elaine Biondo Co-orientador: Dr. Voltaire Sant’ Anna

3 – https://abioquimicacomoelae.com.br/convidados/pancs-plantas-alimenticias-nao-convencionais/

4- http://www4.planalto.gov.br/consea/conferencia/documentos/lei-de-seguranca-alimentar-e-nutricional

Tatiane Turatti Orlandini
Extensionista Social – Nutricionista
Escritório Municipal da Emater/RS – ASCAR Encantado