Oportunidade Emprego Estrela

Parcerias ampliam encaminhamento de candidatos a vagas de empregos

Contato direto com empresas, formações e outras iniciativas facilitam busca pelo emprego e contratações em Estrela

Taila (c), mais de um ano depois de conseguir uma vaga graças ao Jovem Aprendiz, com a carteira assinada

A busca pela reposição de funcionários ou de um novo emprego tem se tornado mais rápida e eficaz em Estrela. Ações políticas de incentivo têm colaborado para este contexto. Uma delas é a intermediação da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação (Sedesth) neste processo. Formações focadas a específicos grupos, como os Programas Jovem Aprendiz e Encaixe, e o gerenciamento de vagas abertas no mercado local foram medidas adotadas ao longo dos últimos dois anos. Assim, o processo, tanto de quem precisa contratar alguém como de quem precisa voltar ao mercado de trabalho, tem sido mais eficiente no município.

Uma das ações na área visa captar, cadastrar, ajudar na elaboração de currículos e oferecer aos desempregados ofertas de vagas para sua reinserção no mercado, junto a empresas parceiras, tanto no município como fora dele. De acordo com o Setor do Trabalho da Sedesth, em 2018 foram cerca de 3,5 mil pessoas encaminhadas para entrevistas de emprego. Cerca de 800 conseguiram a vaga, beneficiando também suas famílias. São mais de 500 encaminhamentos apenas nos três primeiros meses de 2019. “Serão sempre mais candidatos do que vagas, por isso a importância de estarem mais preparados e direcionados para uma área de maior conhecimento ou interesse. O que não podemos é beneficiar um e outro. Quando há uma seleção, buscamos encaixar vários candidatos dentro do perfil exigido ou solicitado”, explica o coordenador do Trabalho, Eder Follmann.

No ano passado a Sedesth auxiliou ainda na contratação de pessoas de outros países, a maioria haitianos. Mais de 70 pessoas deles compareceram ao Salão Nobre da prefeitura para participar de uma seleção de empregos em empresa local. “Ao contrário do que mostra o Brasil, que apresenta um grande número de desempregados e deficit muito grande de vagas, Estrela mostra ter vagas e também mão-de-obra disponível e organizada, tanto que não são poucas as empresas que têm buscado suprir aqui as suas carências e exigências e, com isso, atraindo novos investimentos”, frisa o secretário da Sedesth, José Itamar Alves.

Programas de formação e intermediação facilitaram estes processos, como na busca pelo primeiro emprego ou a volta ao mercado de trabalho. No Programa Jovem Aprendiz, lançado em outubro de 2017, os jovens participam de encontros, quando são passados o atual e futuro contexto do mercado de trabalho; dicas, técnicas e de comportamento em geral, desde como se portar e falar em público e orientações para uma excelência no atendimento a colegas e clientes. Objetivo comum tem o projeto Encaixe, voltado a pessoas de mais idade ou há muito tempo fora do mercado.

Taila Audreia Grabin (18) participou do Jovem Aprendiz ao fim de 2017 e logo após conseguiu um emprego. Em busca de crescimento, agora foi para uma nova entrevista de vaga, surgida através das oportunidades anunciadas pela Sedesth. “Fui confiante. Bem mais tranquila. Aprendi muito com o Jovem Aprendiz, em como me portar, vestir, ficar tranquila. E tinha um currículo bem elaborado. Agora foi a vez do seu marido, Robson Fell Jung (19), buscar a orientação da Sedesth para elaboração do currículo e informações sobre vagas. O programa, inclusive, fará nova seleção para vagas de emprego em uma empresa parceira nos próximos dias. Mais detalhes sobre os programas na Sedesth (Rua 13 de Maio, nº 398) e pelo telefone 3981-1052.

 

 

Texto: Rodrigo Angeli
Assessoria de Imprensa de Estrela