RSS Obras Lajeado

Paróquia Santo Inácio lança mutirão para obras e reformas

Arquiteto Luis Bersch é responsável pelo projeto que contempla uma nova Casa Paroquial e a reforma do Salão Centenário (Foto: Simone Rockenbach Kamphorst)
Arquiteto Luis Bersch é responsável pelo projeto que contempla uma nova Casa Paroquial e a reforma do Salão Centenário (Foto: Simone Rockenbach Kamphorst)

A comunidade católica abrangida pela Paróquia Santo Inácio é convidada mais uma vez a colaborar com a manutenção do patrimônio que está a serviço da evangelização. Na quinta-feira (29), a comissão Pró Construção Casa Paroquial reuniu lideranças da comunidade, empresários e imprensa para fazer a apresentação oficial do projeto  O Grande Mutirão. O evento ocorreu no Centro Pastoral da igreja, em Lajeado, e contou com a presença do bispo dom Aloísio Dilli. O trabalho vai envolver a construção da nova Casa Paroquial e a reforma do Salão Centenário.

O bispo salientou a importância do projeto e elogiou o espírito comunitário existente. Lembrou que a Igreja precisa se reformar constantemente e se adequar às épocas. “E uma das formas de se fazer isso é atuando com as melhorias na igreja “pedra”, aquela que está a serviço do povo de Deus, para servir aos fiéis”. O pároco Antônio Puhl traçou um histórico de momentos da paróquia em que a população foi chamada e fez sua parte, ainda no século passado, e mais recentemente, em 2010, quando o templo foi restaurado. “Lajeado é uma terra abençoada e tem um povo querido, muito atento às coisas de Deus. Vivemos numa cidade pujante e dinâmica. E agora temos mais uma vez o Evangelho mergulhado neste mundo”, destacou o pároco.

Motivado pelo desafio assumido, o presidente do Conselho Administrativo da Paróquia, Renato Zanella, reforçou o pedido de engajamento. “Faço uma convocação a todos: diretoria, comissão, lideranças religiosas, públicas, empresariais, judiciárias e legislativas. Vamos assumir este protagonismo coletivizado e escrever mais uma linda página na história de nossa paróquia, e ousaria dizer até, porque não de nossa cidade”. Conforme Zanella, a estimativa de custos é de cerca de R$ 1,7 milhão. Em torno de 25% há em caixa, o suficiente apenas para dar início à obra.

Convidado para ser o coordenador da comissão de construção, Renato Arenhart comentou sobre a importância do maior número possível de pessoas se envolverem. “Cada um pode sensibilizar amigos e conhecidos para que consigamos alcançar os recursos necessários e concretizar a obra”, disse.

O projeto

Arquiteto responsável pelo projeto, Luis Bersch fez uma apresentação na qual destacou as principais mudanças. Os trabalhos começam pela demolição da Casa Poroquial, priorizada devido ao comprometimento da estrutura por infiltrações e cupins. A edificação vai atender em primeiro lugar a necessidade de uma moradia mais adequada e confortável aos padres, sendo que a residência e a secretaria assumem espaços distintos, mas ligados internamente.

O conjunto ocupará o espaço da atual casa e parte lateral do pátio, atendendo a conveniência da proximidade com a igreja e oferecendo vagas de estacionamento para quem visita a secretaria e livraria paroquial, que completa esta nova construção.

O pátio lateral de estacionamento será mantido e tratado como praça de recepção do Salão Centenário. Este, que antes abrigava um ginásio, será revitalizado, bem como o salão menor no piso inferior. O objetivo, segundo Bersch, é voltar a ocupar esses dois espaços, hoje praticamente sem uso, incorporando conceitos de acessibilidade, climatização e tratamento acústico. Um novo acesso aos salões também será criado pelos fundos, junto ao terreno que acomodará área de estacionamento.

Como doar

Envelope – eles são distribuídos nas missas e as pessoas podem contribuir espontaneamente, em sigilo, com qualquer quantia em dinheiro. Os envelopes devem ser devolvidos na secretaria ou nas missas.

Depósito bancário – tanto pessoas como empresas podem depositar na conta do Banco do Brasil em nome da Paróquia Santo Inácio. A agência é 0139, conta 52.593-6. Será mantido o anonimato.

Livro Ouro – as doações de pessoas físicas ou jurídicas também podem ficar registradas na história da paróquia pela contribuição ao mutirão. Quem optar por essa modalidade terá então seu nome publicado no Livro Ouro.

Contribuição de associados – A paróquia pede a regularização das contribuições em atraso. Neste caso, a sugestão é colaborar com um valor mensal.

Texto: Ascom Paróquia