Educação Estrela

Peça de combate ao abuso sexual infantil terá última jornada de apresentações

Pipo e Fifi têm conversa interativa com as crianças sobre questões que envolvem o abuso sexual

Personagens populares interagem com alunos estrelenses em torno da temática social

Os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Odilo Afonso Thomé, do Bairro Imigrantes; da Emef Professora Ruth Markus Huber, do Bairro Boa União; e as crianças Escola de Educação Infantil (Emei) Arco-Íris, também do Bairro Imigrantes, serão as últimas a terem o divertido contato com a dupla Pipo e Fifi. Na peça teatral de mesmo nome, os populares personagens do meio infantil são o elo de interação com as crianças de 4 a 8 anos de escolas estrelenses que fazem parte do Programa Saúde na Escola (PSE) na abordagem da temática do abuso sexual infantil.

A iniciativa do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) visa passar, em abordagem apropriada, orientações básicas para a identificação, por parte das crianças como também de familiares, professores e outros do meio de convívio, de sinais físicos e emocionais que identifiquem possíveis situações de abuso sexual. Presentes em livros, vídeos e outras plataformas, Pipo e Fifi atuam como ferramenta de prevenção e proteção, explicando às crianças conceitos básicos sobre o corpo, sentimentos, convivência e trocas afetivas. De maneira interativa e didática, as atrizes usam de linguagem lúdica e adequada para ensinarem às crianças sobre o corpo, a diferenciarem toques de amor de toques abusivos, de modo que as ajudem a reconhecer quem são os adultos que podem ter acesso a elas, por exemplo, durante os momentos de higiene e cuidados básicos, como ainda em possíveis insinuações sexuais e outras maneiras de exploração.

Nesta quarta-feira (05) a peça será encenada três vezes. Às 13h30min para alunos da (Emef) Odilo Afonso Thomé. Em seguida, na mesma escola, ocorrerá nova sessão, mas então para as crianças da Emei Arco-Íris. Em seguida, os personagens irão se deslocar ao Bairro Boa União, em apresentação, às 15h, então para estudantes da Emef Professora Ruth Markus Huber. O cronograma iniciou em maio, por ser o dia 18 do referido mês o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Desde então a peça já foi apresentada às turmas dos primeiros anos da Escola Estadual de Ensino Fundamental 20 de Maio, da Emei Criança Feliz e da Emef Leo Joas.

“São muitos os casos em que o abuso existe e buscamos combatê-lo. Outros que não são de consciência nossa ou de pais porque não são percebidos por familiares, professores, até mesmo porque as crianças não sabem identificar, diferenciar, e se manifestar. O Creas vem trabalhando forte nesta frente, para tornar a prevenção um mecanismo de diálogo e proteção”, explica a assistente social do Creas, Adriane Mallmann. O titular da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação (Sedesth), José Itamar Alves, ao qual o Creas está vinculado, ressalta. “É um tema que precisamos dar total atenção, sempre”. Mais informações no Creas, que funciona em sala anexa à Sedesth, na Rua 13 de Maio, nº 398.

 

 

Texto e Fotos: Rodrigo Angeli
Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Estrela