Artigos - Gestão de Pessoas

Planejamento Financeiro para transição de carreira – por Márcia Sehn

Márcia Sehn (Foto: Divulgação)
Márcia Sehn (Foto: Divulgação)

Você já pensou em mudar de carreira e uma das primeiras preocupações foi o dinheiro. Será que eu terei dinheiro para fazer a transição? Quanto dinheiro eu preciso para viver até conseguir ganhar o suficiente na minha nova área? Como vou fazer uma transição e ao mesmo tempo pagar as despesas da família?

As respostas são diferentes para cada pessoa. Vai depender do que é importante para você, do quanto e o que você está disposto a abrir mão, dos valores pessoais, das crenças que você traz em relação ao dinheiro, dos compromissos financeiros já assumidos, do quanto você gerencia suas finanças, entre outras questões.

Se você pretende iniciar uma transição de carreira com sucesso, é primordial que avalie sua reserva financeira. Neste artigo, apresento seis dicas que vão te auxiliar a fazer um bom planejamento financeiro antes dessa mudança.

  1. Realize um diagnóstico financeiro: você precisa saber o quanto ganha e o quanto gasta, para saber onde seu dinheiro está indo e, logo, onde pode cortar seus custos. Isso implica na coleta de dados de despesas e rendas para que seja identificada a “real” situação financeira;
  2. Controle os gastos: realizado o diagnóstico, o próximo passo é controlar os gastos. Muitas pessoas acham que gastam menos do que realmente gastam. Cuide de suas despesas e, se for preciso, corte gastos de itens desnecessários no momento. Controle a compra pelo cartão de crédito, um dos vilões da saúde financeira;
  3. Liquide suas dívidas: se você tiver dívidas, é essencial que você se planeje para eliminá-las. Sempre que possível, renegocie com as pessoas que você deve e procure pagar o mais rápido possível, dessa forma pagará uma taxa de juros menor;
  4. Faça uma reserva financeira: uma reserva em caixa, em especial para o caso de surgir alguma emergência. Isso acontece porque a tendência é reduzir os ganhos atuais. Como estará começando em uma nova carreira, existe a possibilidade de diminuição da sua remuneração;
  5. Tenha objetivos: qual a motivação para você reduzir despesas? Quando você traça objetivos bem definidos o consumo imediatista tende a perder força. Estabeleça pelo menos três objetivos: um de curto prazo, outro de médio e um de longo prazo, com orçamento do valor de seus sonhos e analise o quanto precisa economizar mensalmente para atingir cada um deles. Dessa forma você dará mais prioridade para as despesas que trarão um grande significado em sua vida e evitará gastos por impulso;
  6. Mantenha o foco e repense seu padrão de vida: ao se concentrar no planejamento você garante manter o foco. Este é um desafio que requer empenho e você encontrará várias estímulos de consumo que poderão testar sua capacidade de resistência. Daí a importância de alterar seu padrão de vida até encontrar um equilíbrio financeiro e formar uma reserva. Isto pode implicar menos programas com família, amigos, viagens e compras. Mas você verá que todo o esforço valerá a pena.

Ótima semana!

Marcia Sehn – Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching e Pós-Graduada em Liderança Estratégica de Negócios e Pessoas