RS Polícia

Polícia Civil apreende quase 2 toneladas de drogas somente neste ano

201610191537512quadrimestre_siteA Polícia Civil realizou, de janeiro a agosto deste ano, 573 operações policiais, o que equivale a 71 operações ao mês, mais de duas por dia. Nesse período, foram efetuadas 9.048 prisões, sendo que quase quatro mil foram em flagrante. Foram recapturados 1.357 foragidos, e 3.698 pessoas foram presas por mandado de prisão. Nesses oito meses foram apreendidas 2.509 armas, 14,44% a mais do que no quadrimestre anterior. Foram remetidos cerca de 230 mil procedimentos à Justiça, dos quais 80% com elucidação. O percentual de esclarecimento dos crimes de homicídio doloso e de latrocínio foi 83,38% e 84,81%, respectivamente.

O aumento no número de operações policiais é decorrente do trabalho qualificado de investigação e inteligência policial e fazem parte também da segunda fase do Plano Estadual de Segurança Pública do Estado. Embora tenha tido uma diminuição no número de operações se comparado ao primeiro quadrimestre deste ano, o número total de operações realizadas de janeiro a agosto deste ano significa um acréscimo de 117 operações a mais se comparado ao mesmo período de 2015. Como resultado foram 17,68% a mais de procedimentos com elucidação remetidos à Justiça, e 21,33% de foragidos recapturados a mais do que no primeiro quadrimestre do ano.

O combate ao tráfico de drogas também é sempre uma preocupação e trabalho constante da Polícia Civil. Neste ano de 2016 já somam cerca de 1,9 toneladas de drogas apreendidas, entre maconha, cocaína, crack e haxixe. Além disso, também foram apreendidos no segundo quadrimestre 2.255 pontos de LSD e mais de 10 mil comprimidos de ecstasy, significando um aumento de 250% de apreensão de drogas sintéticas neste segundo quadrimestre em relação ao primeiro.

As operações são deflagradas contra uma vasta área criminal, como o tráfico de drogas, roubos e furtos de veículos e homicídios, entre outros crimes. Entre essas ações destacam-se a Operação Grau Zero, realizada em 15/09 em São Leopoldo, a Operação Reflexo, em 24/08 e a Operação Iluminatti, em 24/07, as quais somaram 102 presos. A Grau Zero, contra o tráfico de drogas, foi realizada em São Leopoldo, e teve, além de 35 presos, a apreensão de drogas,
armas e dinheiro. Já a Reflexo foi uma ação simultânea em cinco Estados contra o tráfico de drogas sintéticas, com 32 presos, além da apreensão de drogas, munição, armas e veículos. A organização criminosa, alvo da operação, tinha seus principais líderes em balneário Camboriú, de onde a droga era trazida para ser distribuída em festas de música eletrônica para jovens de classe média e alta. Já a Operação Iluminatti foi uma ação contra o roubo e clonagem de veículos no Estado. Foram 3 5 presos e apreendidos seis veículos clonados, seis armas, 2,5kg de drogas, além de grande quantidade de documentos de veículos, apetrechos para clonagem e objetos de vítimas.

Uma ação de grande importâcia foi a Operação Consumo Seguro, que teve por objetivo coibir o crime de abigeato e a venda de carne imprópria para consumo. Foram diversas ações durante o ano, onde foram vistoriados estabelecimentos comerciais em cidades do interior e quase 3 toneladas de carne imprópria para consumo foram apreendidas. As ações se desenvolveram no Interior do Estado e contaram com o apoio da Secretaria Estadual da Saúde e da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação. Já em Soledade houve a Operação Garras da
Lei que desarticulou um grupo criminoso de tráfico de drogas, cujos líderes possuíam empresas que faziam a lavagem de dinheiro do tráfico de drogas. Durante a ação, 38 pessoas foram presas, além de outras cinco durante a investigação, em junho deste ano. Não se pode deixar de mencionar a Operação Dominó, da Delegacia de Roubos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), em maio deste ano, onde 22 pessoas foram presas, entre as quais, um homem, de 40 anos, conhecido como o maior clonador de veículos do Estado, preso em Canoas. O grupo era responsável por, no mínimo, dois roubos por dia nas zonas norte e leste da Capital. Os veículos eram usados na prática de outros crimes, clonados ou trocados por drogas.

O Chefe de Polícia, delegado Emerson Wendt, ressalta que as operações são resultado do trabalho investigativo qualificado realizado pelos delegados e agentes. Além de combater o crime, é importante que as operações policiais também tenham por objetivo a descapitalização de organizações criminosas, visando atingir o patrimônio adquirido de forma ilegal desses grupos criminosos – salienta Wendt. Com o intuito de combater de forma mais pontual alguns crimes que vêm aumentando ao longo do tempo, a Polícia Civil criou, neste ano, duas Forças-Tarefas. Uma contra Roubos a Transportes Coletivos em Porto Alegre, lançada em 11/03, e outra contra Crimes Rurais, em 19/08.

A Força-Tarefa contra Roubos a Transportes Coletivos está sediada na 2ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre e tem por objetivo auxiliar e presidir investigações que envolvam atuação de grupos criminosos em veículos de transporte coletivo na Capital. Desde o início do funcionamento dessa Força-Tarefa, já houve a diminuição de 23,90% no registro de ocorrências desse tipo de crime. Enquanto o primeiro trimestre fechou com 615 registros policiais, já o segundo trimestre reduziu para 452 registros.

Já a Força-Tarefa contra Crimes Rurais tem por objetivo principal o combate ao crime de abigeato (furto de animais), além dos crimes de receptação e furto/roubo de maquinário agrícola. A base de trabalho funciona em Rosário do Sul, sendo que esse reforço de polícia judiciária abrange 60 municípios na região de Fronteira do Estado. O trabalho da Força-Tarefa vem para somar com o serviço das delegacias e conta com o apoio de outros órgãos municipais e estaduais. Nesse período de funcionamento, já foram recuperados 276 animais e 10 pessoas foram presas em flagrante.

PROGRAMAS INSTITUCIONAIS
No mês de agosto deste ano, foi lançado o Programa + Garantias que tem como objetivo ampliar a interlocução social, fortalecer o atendimento à sociedade, implementar mecanismos de proteção e buscas de garantias e direitos e propiciar atenção aos grupos vulneráveis. Uma das atividades do programa é o atendimento em comunidades com a Delegacia de Polícia Móvel, para registros de ocorrências, palestras educativas para adolescentes e atendimento especializado a mulheres e idosos. O Programa já realizou atividades nos bairros Rubem Berta, Lomba do Pinheiro e Cruzeiro, todos na capital.

Ainda neste ano, os Núcleos de Mediação de Conflitos foram ampliados com o objetivo de expandir para todo o Estado os princípios da Justiça Restaurativa. Esses núcleos fazem parte do Programa Mediar, criado no ano passado, que busca o apaziguamento em conflitos, controvérsias e problemas. Neste ano, já foram inaugurados alguns núcleos em delegacias do Interior como em Lajeado, Santa Cruz, Veranópolis e Montenegro. Ainda estão previstas para este ano novas inaugurações em Sapiranga, Três Passos, Panambi e Cruz Alta. Em agosto foi criada a Central de Termos Circunstanciados (TC), com o objetivo de reunir todas as ocorrências relacionadas a infrações penais de menor potencial ofensivo registradas nas delegacias de Porto Alegre em um só sistema cartorário. Com esse novo sistema será possível dar maior agilidade no encaminhamento desses casos e as delegacias poderão concentrar as investigações nos crimes mais graves. A Central de TCs funciona nas dependências da 13ª Delegacia de Polícia, em Porto Alegre, que também disponibiliza o Núcleo de Mediação de Conflitos.

Ao longo de 2016 a Instituição intensificou o treinamento de policiais civis com vários cursos de aperfeiçamento de práticas policiais. Também teve início, em agosto deste ano, o Curso de Formação Profissional de Escrivães e Inspetores de Polícia, que está sendo realizado na Academia de Polícia Civil. Os novos policiais estarão aptos a atuar nas Delegacias de Polícia já no início do próximo ano.

Texto: Ascom Policia Civil