RS RSS Destaques Geral

Porto de Rio Grande alcança movimentação de cargas recorde em sete meses

Porto movimentou o volume recorde de 23 milhões de toneladas de janeiro a julho (Foto: André Zenobini/SUPRG)
Porto movimentou o volume recorde de 23 milhões de toneladas de janeiro a julho (Foto: André Zenobini/SUPRG)

O Porto de Rio Grande movimentou o volume recorde de 23 milhões de toneladas de cargas nos sete primeiros meses de 2016. Entre janeiro e julho, o volume exportado é 6,7% superior ao mesmo período do ano passado. Os dados são do setor de estatística da Superintendência do Porto de Rio Grande (SUPRG).

“O setor produtivo gaúcho é a base da movimentação portuária. O bom momento da soja e a intensa movimentação da Celulose Riograndense proporcionaram o crescimento numérico. Mais que números, o aumento de movimentação significa geração de emprego e renda no município de Rio Grande”, afirmou o diretor-superintendente, Janir Branco.

Ao dividir as cargas, o granel sólido, composto principalmente pelos grãos, movimentou mais de 14 milhões de toneladas. O granel líquido ultrapassou 2,7 milhões de toneladas, com crescimento de 9,7%. A carga geral, que enquadra a celulose e toras de madeiras, atingiu 6,1 milhões de toneladas e aumento de 42,4%.

Dos graneis sólidos, apenas o trigo registrou queda de 41%. “Não é nenhuma surpresa. Em 2015, tivemos um embarque atípico de trigo, enquanto o país sempre foi grande importador. Não vemos a queda como anormalidade”, explicou Branco. Os demais produtos, considerando embarque e desembarque, subiram na movimentação: arroz (27,3%), milho (101,1%) e cevada (74,6%).

O complexo soja segue como destaque na movimentação portuária. Até o mês de julho, foram 8,8 milhões de toneladas divididas entre farelo, óleo e grão. O número representa aumento de 1% em comparação ao mesmo período de 2015. Os contâiners tiveram crescimento de 1,2%, passando de 405.268 para 410.448 TEUs (quantidade equivalente a um contêiner de 20 metros). De janeiro a julho, foram 1.894 viagens de embarcações executando operações de cabotagem, longo curso e navegação interior.

Texto: Ascom Estado