Saúde Lajeado

Posto do Santo Antônio promove ação preventiva contra hepatites virais na Emei Cantinho Mágico

Diretora Aline (e), Alessandra e a dentista Luana ao fundo durante a realização dos testes rápidos

Em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, celebrado em 28/07, o Posto de Saúde do Bairro Santo Antônio realizou uma ação preventiva na Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Cantinho Mágico, no mesmo bairro. A ação ocorreu na quinta-feira (25/07), resultando na realização de testes rápidos de detecção de Hepatites Virais (B e C), HIV e Sífilis em toda equipe que atua pela manhã na escola infantil.

“Ao todo, realizamos os testes em dezesseis pessoas e voltaremos à escola no dia primeiro de agosto para fazer os testes na equipe da tarde”, destaca a enfermeira residente do posto, Alessandra Siebeneichler. Segundo ela, a ação foi bem recebida pela equipe da escola, e contou com a parceria da diretora da Emei, Aline Deboer, e da dentista do posto, Luana Reinheimer. Além dos testes rápidos, a equipe do posto prestou orientações sobre as formas de contágio e prevenção às Hepatites Virais, bem como o tratamento, com foco na Hepatite C.

Conforme Alessandra, a equipe do Posto de Saúde do Bairro Santo Antônio planeja realizar a ação preventiva em outras escolas e instituições do bairro. Para tanto, disponibiliza o telefone da unidade de saúde para que os interessados possam entrar em contato para agendar um dia conveniente para a atividade. Os telefones para contato são: 3982 1144 e 3982 1143.

Saiba mais

As hepatites virais são transmitidas principalmente por sangue contaminado. Entre as principais causas de transmissão estão a transfusão de sangue; o compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos perfurantes ou cortantes; fazer tatuagem e colocar piercings; transmissão de mãe para filho durante a gravidez e sexo sem proteção com pessoa infectada. Segundo Alessandra, a transmissão sexual entre parceiros heterossexuais é rara, por isso, no caso da hepatite C, ela não é considerada uma doença sexualmente transmissível (DST). Porém, no caso de homossexuais masculinos, e na presença da infecção pelo HIV, a via sexual deve ser considerada para a transmissão.

 

Assessoria de Imprensa de Lajeado