Arroio do Meio RSS Rural - Agricultura Destaques

Prefeitos e vices conhecem instalações do Complexo Avícola da Dália Alimentos

 Prefeitos e vices conheceram obra em andamento no município de Arroio do Meio (Foto: Carina Marques)
Prefeitos e vices conheceram obra em andamento no município de Arroio do Meio (Foto: Carina Marques)

Prefeitos e vices dos municípios que serão parceiros do Projeto Frango de Corte da Dália Alimentos conheceram as instalações do Complexo Avícola, que está em fase de edificação em Palmas, no município de Arroio do Meio. Eles visitaram a obra e exploraram as futuras instalações do frigorífico onde, inicialmente, serão abatidos 55 mil frangos diariamente.

A recepção aos chefes de executivos ocorreu na sexta-feira, dia 17 de novembro, e foi feita pelo presidente do Conselho de Administração, Gilberto Antônio Piccinini e pelo presidente Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas. O gerente da Divisão Frango de Corte, Pedro Raul Mallmann, apresentou as instalações, detalhando as repartições e os compartimentos da planta.

O Complexo Avícola é constituído por um abatedouro, por uma fábrica de rações e por uma fábrica de farinhas. A área total construída ultrapassa os 17 mil metros quadrados e o valor total do empreendimento está orçado em R$ 95 milhões, financiados pelo BRDE. A previsão de conclusão da obra e início de operação está prevista para meados de 2019.

De acordo com o presidente Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, o objetivo do encontro foi mostrar aos prefeitos o estágio do andamento das obras, para que acompanhem, desde o início, todas as etapas do projeto. “O complexo está em ritmo acelerado e precisamos que os condomínios no campo também estejam em plena sintonia e ritmo”, disse Freitas, referindo-se aos núcleos de produção de frango de corte que irão abastecer o frigorífico.

Seis municípios já estão definidos para sediar um condomínio cada: Mato Leitão, Marques de Souza, Venâncio Aires, Vespasiano Corrêa, Anta Gorda e Encantado, que estuda a instalação de um segundo condomínio. Os municípios de Cruzeiro do Sul, Muçum, Roca Sales e Travesseiro demostraram interesse e estão verificando a viabilidade de aquisição de área de terra para implantação das vagas restantes.

No total serão nove condomínios e cada um terá oito pavilhões com capacidade para 275 mil aves. Estes condomínios foram constituídos no mês de agosto do ano passado, elegendo para cada um, diretoria com presidente, vice-presidente e tesoureiro. “Para que não haja atraso no cronograma, estipulamos que até o final do mês de março de 2018 a terraplenagem esteja concluída nos municípios. Contamos com equipe técnica e jurídica à disposição, para esclarecer todas as possíveis dúvidas e, assim, darmos andamento às obras do complexo e dos núcleos de produção paralelamente”, observa Freitas.

Ao falar da grandiosidade e complexidade do projeto, o presidente do Conselho de Administração, Gilberto Antônio Piccinini, ressaltou que só é possível viabilizar a obra graças à parceria público-privada entre Dália e prefeituras. “Um projeto desta magnitude se torna realidade quando muitas mãos contribuem e cooperam; e é isso que está acontecendo. Acreditamos que será um projeto que irá marcar o futuro da produção de proteína animal”.

Além dos prefeitos e vices, também participaram do encontro os presidentes de cada condomínio, além do gerente da Divisão Produção Agropecuária, Igor Weingartner, do técnico responsável Vanderlei Michelon, do assessor jurídico Reinado Cornelli e dos conselheiros de Administração.

Matrizeiro e incubatório
Também faz parte deste novo projeto da Dália Alimentos a construção de um matrizeiro, com previsão de instalação no município de Vale Verde, totalizando investimento de R$ 16,5 milhões. O matrizeiro compreenderá duas granjas matriz/recria com capacidade para 30 mil matrizes cada uma e quatro granjas matrizes/postura com capacidade para 29 mil matrizes cada uma.

O incubatório de aves deverá ser construído no município de Mato Leitão que fez o repasse de R$ 265 mil para aquisição de área de terra para construção do empreendimento que receberá 1,2 milhão de pintos/mês.

Texto: Ascom Dália Alimentos