Meio ambiente Destaques Muçum

Prefeitura e Eco Verde pedem apoio da população em programa de Coleta Seletiva

O programa de Coleta Seletiva está em vigor no município de Muçum desde fevereiro. Com a proposta, o lixo orgânico passou a ser recolhido nas segundas, quartas e sextas-feiras; e o lixo seco (reciclável), nas quintas-feiras. A iniciativa é resultante de um acordo com a Eco Verde, responsável pelo recolhimento de dejetos em Muçum. Porém, segundo a Administração Municipal e a empresa, ainda é preciso de maior contribuição da população.

Conforme a Eco Verde, nas primeiras coletas, em grande parte, a coleta vinha acontecendo de maneira correta. No entanto, com o passar do tempo, presenciou-se situações de descaso. “Passamos a encontrar muito lixo misturado. Ainda falta grande engajamento para atingirmos níveis satisfatórios”, destaca a responsável pelo setor administrativo da empresa, Kéli Cristina.

Ela observa como o principal desafio, a conscientização da população, de que o lixo que cada um produz é de sua responsabilidade e que devemos praticar a separação dos resíduos, disponibilizando o mesmo nos dias corretos de recolhimento. Apesar dos problemas relatados, Kéli mantém esperanças de que o município se torne referência na região. Temos muito ainda que melhorar para atingirmos níveis satisfatórios, mas também existem pessoas que estão comprometidas com a iniciativa. O que mostra que, embora ainda ande devagar, estamos caminhando para que ela seja vista como de sucesso”, espera.  

Benefícios 

No princípio da implantação, o prefeito de Muçum, Mateus Giovanoni Trojan, contou que a principal razão do programa é socioambiental. Para ele, o Poder Público tem como dever incentivar a consciência ambiental, sendo relevante na busca de um equilíbrio com a natureza. “A coleta seletiva traz benefícios à sociedade, como economia, redução do consumo de matérias primas virgens e receita através da comercialização de recicláveis, entre outros”, disse. 

Trojan destaca que, desde então, procurou-se pôr em prática uma campanha de divulgação, através das redes sociais, jornais e rádio. Pensou-se, também, em promover reuniões com as agentes comunitárias de saúde (ACS), além de palestras educacionais em escolas. Todavia, estas precisaram ser transferidas em virtude da pandemia provocada pela proliferação da Covid-19 (novo coronavírus). “Entendemos que para o êxito, é importante que os munícipes participem ativamente. Por isso, mais uma vez, pedimos colaboração, para que os moradores façam a separação correta, tirem suas dúvidas ou deixem sugestões e reclamações junto a Secretaria Municipal da Saúde e Meio Ambiente”, salienta. Os telefones para contato com a pasta são 51.3755.2112 ou 51.3755.2113.