Santa Cruz do Sul Alimentação RS

Produção Programada na Olericultura é tema de oficina em Santa Clara do Sul

Um grupo de produtores de Santa Clara do Sul participou nesta quinta-feira (18/04) de uma oficina sobre Produção Programada na Olericultura. A atividade, ministrada pelo assistente técnico regional em Sistema de Produção Vegetal da Emater/RS-Ascar Lauro Bernardi, foi realizada no auditório da Prefeitura e debateu o planejamento da produção como uma ferramenta para organização da oferta de olerícolas, com vistas a atender melhor os consumidores, respeitando-se a época possível de cada cultura.

Parte das ações do programa Santa Clara Mais Saudável, a atividade trabalhou o volume ideal de produção semanal para cultivos como cenoura, beterraba, couve-flor, brócolis, alface, repolho, entre outros, destacando referenciais técnicos como espaçamento, densidade e produtividade por área, além do número de mudas a semear ou a quantidade de sementes necessária para atender a oferta que se quer. “Esta é uma forma de superar-se a descontinuidade da oferta, permitindo a qualificação do atendimento”, salienta Bernardi.

Para o extensionista, para que a produção programada funcione é necessário o acesso a mudas de qualidade e escolha correta das cultivares de acordo com a época do ano, o que poderá ser feito também como o apoio do serviço de assistência técnica. “Nesse contexto, também deve-se organizar o calendário de plantio semanal ou quinzenal para aquelas culturas de ciclo estreito, sem esquecer da análise de solo, do uso de uma cobertura equilibrada e da adoção de tratos culturais adequados”, ressalta.

Para o agricultor Edson Mohr da localidade de Alto Arroio Alegre, a produção programada pode ser a diferença para um atendimento sem desperdício de alimentos e, consequentemente, de recursos. “Já plantei repolho demais no inverno, época de consumo menor desse alimento, que tive de descartar depois”, comenta. “Por outro lado, tenho um mercado que compra toda a semana 150 maços de couve-folha, cabendo a mim organizar a produção para atender a esta demanda”, completa.

Outras atividades já estão programadas com o envolvimento dos agricultores que participam do Santa Clara Mais Saudável. No dia 21 de maio o tema discutido será Padronização, Qualidade e Higiene. Já para o dia 06 de junho, está prevista uma tarde de campo sobre Formação e Condução de Pomares Orgânicos. Com promoção da Articulação em Agroecologia do Vale do Taquari (AAVT), os integrantes do programa também integrarão o Encontro Técnico Sobre Certificação Participativa, que ocorre na próxima quarta-feira (24/04), a partir das 14h, no Jardim Botânico de Lajeado.


Sobre o Santa Clara Mais Saudável

Política pública municipal lançada em junho de 2017 e apoiada pela Emater/RS-Ascar, Prefeitura e outras entidades, o Santa Clara Mais Saudável define normas e ações para a consolidação de um sistema orgânico de produção no município. São 30 famílias envolvidas no projeto – sendo 13 certificadas e já com produção orgânica – que buscam por meio da sustentabilidade e do respeito ao meio ambiente, a adoção de um sistema de produção de alimentos livres de agroquímicos.

O programa busca envolver toda a cadeia produtiva de alimentos saudáveis, iniciando na preparação do solo, passando pelo manejo de cultivos, até chegar aos canais de comercialização. “Desde que foi lançada, a ação promoveu diversas oficinas, como esta, além de reuniões e visitas técnicas em que temas como manejo ecológico do solo, elaboração de biofertilizantes e diversificação da produção têm sido trabalhadas como as famílias”, explica o extensionista da Emater/RS-Ascar de Santa Clara do Sul, Ivan Bonjorno.

 

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Lajeado
Jornalista Tiago Bald