Artigos - Desenvolvimento Rural

“Produtos derivados de cana-de-açúcar: uma breve contextualização” por Vanessa Daltoé

Vanessa Daltoé (Foto: Diuvlgação)
Vanessa Daltoé (Foto: Divulgação)

A relação do Brasil com a cana-de açúcar é antiga e do período colonial. Atualmente o país é o maior produtor de cana-de-açúcar, açúcar e etanol do mundo. A cana-de-açúcar é utilizada ainda como matéria-prima no processamento de diversos produtos entre eles o caldo de cana ou garapa, o açúcar mascavo, o melado, a aguardente e a cachaça.

A composição da cana-de-açúcar é variável, a exemplo de todos os alimentos naturais, podendo variar em função da forma de cultivar, do clima, da região produtora, entre inúmeros outros fatores mas, especialmente em função da composição química e física do solo.

De modo geral, pode-se dizer que cana-de-açúcar é constituída por 65 a 75% de água. É fonte de minerais como ferro, cálcio, potássio, fósforo, magnésio, sódio e cloro, além de vitaminas do complexo B e C.

O caldo de cana ou garapa é a bebida obtida da moagem da cana-de-açúcar. Uma ótima alternativa para os dias quentes do verão, a bebida pode ser consumida apenas com gelo ou adicionada de limão, gengibre e outros ingredientes. Nas agroindústrias, a moagem da cana marca o início do processo e, a partir do caldo de cana são elaborados os demais produtos (açúcar mascavo, melado, rapadura, entre outros).

Segundo a legislação brasileira, melado é o liquido xaroposo obtido pela evaporação do caldo de cana ou da rapadura, pelo uso de processos adequados. O teor nutricional e a qualidade do melado podem variar em função da técnica de processamento, do estado de maturação da cana e de inúmeros outros fatores.

O açúcar mascavo possui coloração que varia do marrom ao dourado, apresenta maior teor de umidade que outros açúcares e possui, a exemplo de sua matéria-prima de origem, concentrações significativas de vitaminas, ferro, cálcio e outros minerais. O sabor característico deste produto não é apreciado por todos os paladares, contudo o açúcar mascavo é recomendado por especialistas como alternativa ao açúcar refinado uma vez que não foi submetido ao processo de refinamento, apresentando, portanto, menor concentração de sacarose.

O caldo de cana e seus subprodutos preservam boa parte dos nutrientes da cana. Assim como o melado, o açúcar mascavo pode ser consumido in natura ou substituir o açúcar no preparo de pães, bolachas, biscoitos, sobremesas e bebidas.

Além disso, a cana-de-açúcar é matéria-prima para a produção da cachaça e da aguardente – exatamente, falamos de dois produtos semelhantes, mas que não são idênticos. A legislação brasileira define aguardente de cana como a bebida obtida da destilação simples de cana-de-açúcar ou do mosto fermentado do caldo de cana, com graduação alcoólica de 38 a 54% vol (20ºC). Já a cachaça é a denominação típica e exclusiva da aguardente de cana produzida no Brasil, obtida da destilação do mosto fermentado da cana-de-açúcar, com características sensoriais especificas e graduação alcoólica de 38 a 48% vol (20ºC). Ambos produtos podem ser adicionados de açúcares até 6g/L (expresso em sacarose).

Ficou curioso? No APL de agroindústrias familiares do Vale do Taquari temos agroindústrias que produzem derivados de cana-de-açúcar. Entre em contato, informe-se e confira de perto o processamento e os produtos das agroindústrias familiares.
REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA. Cana-de-açúcar. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/vegetal/culturas/cana-de-acucar>. Acesso em: 30 de jan. 2017.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA. Instrução Normativa nº 13, de 29 de Junho de 2005. Regulamento técnico para fixação dos padrões de identidade e qualidade para aguardente de cana e para cachaça. Disponível em: < http://extranet.agricultura.gov.br/>. Acesso em: 30 de Jan. 2017.

 

Um abraço e até o próximo artigo!

Vanessa C.B. Daltoé
Gestora | APL – AF Vale do Taquari