Social RS Educação Lajeado

Profissionais da APAE se tornam Facilitadores de Círculos de Construção de Paz

Os profissionais da APAE participaram da Formação de Facilitadores de Círculos de Construção de Paz, de Justiça Restaurativa no âmbito escolar

Lajeado – Na última semana os profissionais da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) participaram da Formação de Facilitadores de Círculos de Construção de Paz, de Justiça Restaurativa no âmbito escolar, realizado pelo Ministério Público e mediado pelas instrutoras Carmen Lúcia Spalding, Denise Scheid Huppes e Tânia Fröhlich Rodrigues. A formação foi realizada de terça (5) a sexta-feira (8) no salão de eventos da APAE.

O promotor da infância e juventude de Lajeado, Sérgio da Fonseca Diefenbach, afirma que o universo de alto conhecimento e espaço para transformação é enorme dentro dos círculos, porque as práticas abrem uma janela dentro de um mundo que tem muito conflito, julgamento, confronto e acusação. “O ser humano não é feito somente de pensamentos negativos, mas ele vai se encolhendo e suas emoções mais positivas ficam abafadas. Os espaços permitem que as pessoas se reencontrem em seu aspecto mais bonito, produtivo e emocional da vida. Quando conseguimos trazer as emoções a frente de nossas condutas, naturalmente cansamos menos, estressamos menos e produzimos mais”, conta o promotor.

Conforme o promotor, algumas pessoas trabalham durante anos juntos, convivem oito horas por dia, mas não sabem o que está passando por dentro daquela pessoa que está ao lado. “Esta ausência de conexão, gera um rompimento de afeto e uma dificuldade de felicidade no trabalho. O Círculo permite que a gente crie pequenas rotinas, formas de conversar, ouvir, escutar atentamente o que está no sentimento da outra pessoa. Quando isso ocorre em grupo acontece um fenômeno de união e compreensão daquele grupo”, conta Diefenbach que este é um espaço para se reencontrar, buscar felicidade e prazer naquilo que estão fazendo.

A assistente social, instrutora dos Círculos de Construção em Paz, Tânia Fröhlich Rodrigues, destaca que a formação de Facilitadores da Paz acontece de uma forma vivencial, diferente de qualquer outra formação no formato de círculo, onde a sabedoria é compartilhada. “Vamos instruindo, mostrando passos, estruturas do Círculo de Construção de Paz e então, as pessoas vão estar aprendendo essa metodologia para utilizar nos seus espaços de trabalho”.

Uma semana de grandes aprendizados

Para a servidora do Ministério Público, Carmen Lúcia Spalding, os Círculos de Construção de Paz têm o objetivo de construir relacionamentos saudáveis através do diálogo e da escuta atenta. Ao final dos quatro dias, o grupo relatou que estava sentindo uma conexão muito maior, reconhecendo a humanidade e a história de vida de cada colega. “As conclusões ao encerramento da formação trouxeram sentimentos de empatia, afeto, união, esperança, gratidão e conexão. Penso que o encontro circular trouxe fortalecimento da equipe para o início do ano letivo”, conta. Segundo Carmen, são profissionais dedicados, comprometidos e muito afetuosos que acreditam no potencial de cada aluno. “E agora também são Facilitadores da Paz e estão aptos a inserir os círculos de construção de paz na rotina da escola”.

A professora da Educação de Jovens e Adultos (EJA), Marina Gregory, conta que foi uma experiência única. “Estávamos com muita expectativa. Sei que vou mudar bastante, entender e me colocar mais no lugar dos outros. A formação ajudou muito para minha vida pessoal e iremos trabalhar com os alunos também”, diz a professora ao relembrar o quanto foi importante conhecer a história e olhar cada colega de outra maneira.

Círculos de Construção de Paz

Os Círculos buscam compartilhar sabedoria, fortalecer os relacionamentos e de uma forma organizada, com o objeto da palavra, criam o poder da escuta e da fala, fazendo com que as pessoas possam falar e ouvir, contribuindo para um melhor diálogo. A pessoa que antes não tinha afinidade, acaba se reconhecendo na fala do outro dentro do Círculo, seja em uma equipe de trabalho, com turma ou famílias, fortalecendo a união e os relacionamentos.

Texto: Renata Leal