RSS Teutônia Geral

Projeto de energia solar fotovoltaica é apresentado em Teutônia

Um dos principais objetivos da tecnologia é diminuir os gastos (Foto: Divulgação)
Um dos principais objetivos da tecnologia é diminuir os gastos (Foto: Divulgação)

Com o objetivo de apresentar um projeto de energia solar fotovoltaica, a Cooperativa Agroindustrial São Jacó (Cooperagri), de Teutônia, reuniu produtores associados, representantes de entidades e técnicos da Emater/RS-Ascar, que é parceira na ação, na noite da quarta-feira (14). O evento ocorreu na sede da cooperativa, na localidade de Linha São Jacó e contou com palestras a respeito da viabilidade econômica da implantação do sistema e sobre a possibilidade de organizar os agricultores para a elaboração dos projetos de forma associativa.

Um dos principais objetivos da tecnologia – que produz energia por meio de um painel fotovoltaico – é diminuir os gastos. “Estamos confiantes no sistema que, ainda que seja novo em Teutônia, representa pouco investimento para um grande retorno a partir daquilo que recebemos de graça”, ressaltou o presidente da Cooperagri, Osmar Jacobs. Em sua fala, valorizou a parceria com a Emater/RS-Ascar, que será responsável pelos projetos de crédito para os produtores, além de contribuir com o serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social permanente sobre o sistema.

O assistente técnico regional em Manejo de Recursos Naturais da Emater/RS-Ascar, Ricardo Martins, reforça que o sistema funciona como um gerador que produz energia a partir da luz solar e pode ser considerada uma fonte inesgotável de energia. “Os painéis fotovoltaicos funcionam por muitos anos sem manutenção e sem ruído, pois não possuem partes móveis, rolamentos ou engrenagens”, ressalta. “Eles podem produzir energia por até 50 anos, podendo ser armazenada em baterias ou injetada diretamente na rede elétrica convencional”, explica.

O gerente regional da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli, lembra que o sistema possibilita a produção de energia para qualquer atividade, como irrigação, secagem e armazenagem de grãos, estufas, criação intensiva de animais, agroindústrias. “Tudo isso sem impactar o ambiente, com redução de custos de produção e melhoria do planejamento e da gestão da propriedade para os agricultores”, observa, reforçando ainda o fato de os equipamentos não dependerem de rede de energia elétrica para funcionar, podendo ser instalados em lugares sem acesso à eletrificação.

O evento contou com a participação de diversas autoridades – entre elas o assessor da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Osmar Redin – que valorizou a ação e o trabalho em parceria –, o gerente adjunto da Emater/RS-Ascar, Carlos Lagemann e o diretor da Solbras Energia, Rui Saturnino Ruas, que também foi um dos palestrantes. Representantes de entidades, como a Certel Energia, de Teutônia, também estiveram presentes no evento.

Texto: Ascom Emater