Educação Estrela

Projeto Yoga nas Escolas encanta pequenos estrelenses

Aulas ocorrem inicialmente em duas escolas municipais e já deixam alunos entre 6 e 8 anos à espera dos encontros

O tema do dia na Emef Odilo foi a água, e tudo o que este elemento da natureza representa e envolve as crianças

Um projeto-piloto, em execução há menos de um mês, já é sucesso entre alunos de 6 a 8 anos de duas Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) de Estrela. Em fila dupla, cerca de 15 deles aguardam o momento de mais uma vez entrarem na especial sala de aula: esta sem mesas, cadeiras e quadro, mas sim com música leve e sons ambientes, almofadas e elementos da natureza. O “Yoga nas Escolas” trabalha inicialmente com cerca de 60 crianças das Emefs Odilo Afonso Thomé (alunos dos 1ºs anos) e Cônego Sereno Hugo Wolkmer (2º ano) em aulas gratuitas de 40 minutos, uma vez por semana. Um material didático foi encaminhado aos pais. A responsável é a supervisora da Secretaria de Educação, Sirlei Diedrich, instrutora da prática há mais de 10 anos.

Ainda do lado de fora da sala, a espera pela “diferente” aula ainda leva os estudantes do 1º ano da Emef Odilo a aguardarem ansiosos. A professora então aparece na porta e os faz entrarem, sem antes realizar um pedido de respiração profunda de todos, logo respeitado. Já no ambiente, ocorre a tradicional retirada dos sapatos. Em círculo, as crianças escutam as primeiras orientações e realizam leves exercícios em torno do tema do dia, que trata de um dos quatro elementos da natureza: a água. As crianças recebem orientações sobre a importância deste elemento, principalmente para o corpo, e da presença dele em muito mais lugares do dia a dia de todos do que possam imaginar.

Elementos como músicas leves e sons ambientais completam o encantado cenário. Em silêncio, concentrados, os pequenos escutam o mar, rios, cachoeiras e animas que rodeiam estes ambientes. Depois, realizam posturas corporais de alguns destes animais, como tartaruga, sapo, peixe. No fim, de olhos fechados e deitados para relaxamento, outra surpresa: uma concha aparece de repente em seus peitos. Sirlei explica ludicamente. “No mar existe muita água, e muita vida. O mar precisou de muito tempo para produzir esta concha. Teve que ter muita paciência para aprontá-la, e a concha precisou ser muito serena para esperar. E isso vocês precisam ter as vezes também: paciência, calma”, ensina a orientadora.

Tem sido assim a novidade para mais de 60 crianças das duas escolas do município uma vez por semana desde o início de abril. Thaila de Abreu (7) é uma das mais entusiasmadas participantes do 1º ano da Odilo Afonso Thomé. “Adoro. Falei em casa que tinha yoga na minha escola. Eles tão curiosos”, revela a menina. “Escutei barulhos da natureza, de bichinhos, é bem legal. Contei também para minha melhor amiga. Ela quer fazer yoga lá na rua da gente”, completa. Laura Dantas Marins (6) é de outra turma, também do 1º ano. Mas igualmente se mostra encantada com tudo. “Muito bonita a história da concha. Ela demorou para ser feita”, diz, sem antes ensinar o que aprendeu. “Preciso cuidar dela agora, da água também. E ter paciência.” Com as posturas realizadas, os alunos alongam e fortalecem o corpo como um todo, conhecem os seus limites, desenvolvem equilíbrio e coordenação, aprendem a perceber a respiração e valorizar momentos de silêncio e relaxamento. “No momento em que faço uma postura como a da árvore, estou reforçando a minha concentração, força, equilíbrio físico e mental, o que é fundamental para tantas coisas da nossa rotina, também para a dos pequenos”, detalha Sirlei.

Sirlei explica o propósito do projeto. “A ideia existe há mais tempo. Nesse ano nos propomos e organizarmos enquanto secretaria para levar o yoga às crianças e começamos inicialmente por duas escolas”, diz. “As práticas perpassarão objetivos inspiradores e importantes para a vida humana, como conhecer-se e conhecer, amar-se e amar, confiar, escutar e expressar-se, cooperar, aprender, agradecer, pensar de forma positiva e ter alegria de viver e conviver em paz”,detalha. “As aulas são conduzidas de maneira bem pedagógica e lúdica, sendo que as histórias, músicas, posturas e elementos escolhidos são pensados especialmente para tornar este contexto ainda mais marcante.”

 

Texto e Fotos: Rodrigo Angeli
Prefeitura de Estrela