Educação Lajeado

Projetos de escolas municipais de Lajeado são finalistas do prêmio Fala, Professor!

O projeto de dança da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Francisco Oscar Karnal e o projeto de literatura infantil da Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Doce Infância são finalistas do prêmio Fala, Professor! 2019, que reconhece e premia projetos de educação básica desenvolvidos em escolas públicas municipais do Rio Grande do Sul. A partir desta segunda-feira, 25/11, está aberta a votação popular para a categoria especial: Música, Alegria na Escola, na qual concorre o projeto de dança.

No total, foram mais de 1,3 mil inscritos de 811 escolas de todo o Estado. Na categoria especial, está entre os três finalistas o projeto “Dança na FOK: educando através da música e do movimento”, desenvolvido na EMEF Francisco Oscar Karnal, do bairro Santo Antônio, pela professora Patricia Lauxen Leoblein. Nesta categoria, a escolha do melhor projeto se dará por meio da votação do público, que pode ser realizada neste link http://twixar.me/m70T

Já na Educação Infantil, o projeto finalista é de Literatura Infantil, desenvolvido na EMEI Doce Infância, do bairro Conventos, inscrito pela professora Linéia Bastos Ribeiro.

Para participar, as professoras tiveram que produzir um vídeo de até 3 min apresentando o projeto. Para conferir os projetos finalistas, acesse http://twixar.me/070T

Os projetos vencedores serão reconhecidos em um evento no dia 12/12, em local a ser definido. O professor destaque será premiado com R$ 5 mil e o valor de R$10 mil para a respectiva escola onde o projeto foi desenvolvido.

O Prêmio Fala, Professor” é uma iniciativa do empresário e palestrante Otelio Drebes, e conta também com outras duas categorias: Anos Iniciais e Anos Finais.

 

Saiba mais sobre o projeto da EMEF FOK “Dança na FOK: educando através da música e do movimento”

O projeto “Dança na FOK: educando através da música e do movimento” iniciou em 2015 com o objetivo de oferecer aos alunos mais uma atividade no turno oposto ao da escola regular. O projeto envolve alunos do 3º ao 9º ano.

Durante as aulas de dança são realizadas atividades com o objetivo de desenvolver as diversas habilidades físicas, cognitivas e sociais que a dança proporciona, como equilíbrio, resistência, coordenação motora ampla, ritmo, musicalidade, expressão corporal, desinibição e trabalho em grupo.

Uma das atividades realizadas durante a aula é a composição coreográfica, que é apresentada em diversos eventos.

Conforme a professora Patricia, uma característica do grupo é a baixa autoestima e a dificuldade dos alunos de acreditarem nas suas potencialidades. “O projeto veio para melhorar esse aspecto, pois por meio da música e da dança, eles expressam seus sentimentos, se sentem mais seguros, confiantes e passam a acreditar no seu potencial. Como consequência, mudam suas atitudes positivamente dentro da escola”, contou Patricia.

Saiba mais sobre o projeto da EMEI Doce Infância “Viajando pelo mundo da imaginação”

O projeto de Literatura Infantil intitulado “Viajando pelo mundo da imaginação” envolve 23 crianças da turma C2, que possuem de 3 a 4 anos. O projeto iniciou em maio deste ano, sendo que o primeiro livro a ser trabalhado foi “Homero”, escrito por Léia Cassol. Em agosto, o projeto seguiu com o livro “O Carteiro chegou”, escrito por Allan Ahlberg, cujo trabalho foi apresentado no vídeo que concorre ao prêmio.

Conforme a professora Linéia Bastos Ribeiro, a ideia de realizar esse projeto surgiu após perceber que as crianças, ao utilizarem livros em atividades, ficavam mais concentradas, atentas e motivadas.

“Escolhemos o livro ”O carteiro chegou” pelo fato de ele ter referências de várias histórias, assim, envolvemos personagens de outras histórias que as crianças conhecem em um só livro, tendo mais opções de atividades para realizar”, explicou a professora Linéia.

Além dos alunos, o projeto também envolveu pais, funcionários e professores, que enviaram cartas à escola, e que foram devidamente entregues pelas crianças do projeto aos destinatários. “Foi uma brincadeira muito legal que uniu a comunidade escolar para ajudar e colaborar com o nosso projeto. As crianças da turma C2 ficaram muito felizes. A cada dia notavam que sempre tinham cartinhas para entregar”, contou.

Além disso, os alunos ainda passearam pelas ruas do bairro para conhecerem as caixas de correio e números das casas, vestiram-se como carteiros, escreveram cartas para os colegas e visitaram uma unidade dos Correios.

Hoje, os alunos seguem envolvidos no projeto de literatura por meio do livro “O natal do carteiro”, do mesmo autor. “Estamos trabalhando o verdadeiro sentido do Natal e realizando uma campanha de doações de brinquedos”, contou Linéia.

 

Assessoria de Imprensa de Lajeado