Alimentação Investimento Estrela

Reunião conjunta projeta novo PAA

Reunião na Sedesth marcou o início do planejamento das exigências e pactuação dos valores

Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) contemplará o município com R$ 106 mil

Uma reunião realizada no início da semana na Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação (Sedesth) em conjunto com a rede de parceiras do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), sendo elas a Secretaria Municipal da Agricultura (Smag), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Estrela, tratou das normativas e prazos quanto a nova liberação do Governo Federal, através do Ministério da Cidadania, para municípios serem contemplados com o recurso para executar o programa. No Diário Oficial da União (DOU) de 22 de julho de 2019, Estrela aparece mais uma como elegível para desenvolver o programa com valor de R$ 106.000,00 durante os próximos 12 meses; R$ 26,5 mil por trimestre.

Além dos titulares das pastas da Sedesth, José Itamar Alves, e da Agricultura, José Adão Braun, participaram do encontro a chefe do escritório da Emater,Tania Stein, e o presidente do STR local, Rogério Heemann. Estrela, que centraliza na Sedesth a gestão local do programa, tem o Termo de Adesão com o governo federal desde 2013. Em 2014 elaborou a sua primeira proposta, sendo que em 2015 foi contemplado pela primeira vez, quando então passou a beneficiar entidades da rede socioassistenciais, entre elas a Apae, os dois Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Casa da Cidadania, Fundação Vovolândia São Pedro e a Pousada da Criança, com os produtos enviados diretamente da agricultura familiar. Todos os presentes ressaltaram que a proposta do PAA é fortalecer a agricultura familiar local e beneficiar as entidades socioassistenciais com produtos de qualidade como também famílias em situação de vulnerabilidade social.

O encontro deu início ao planejamento das diversas etapas e exigências de momento para garantir mais uma vez a aprovação do Ministério da Cidadania, e também passar a realizar a pactuação do valor disponível. Os presentes enfatizaram que neste período inicial se faz necessário organizar as diversas informações, tanto dos possíveis fornecedores, no caso os produtores rurais ou agroindústrias familiares que tenham interesse em comercializar seus alimentos, como também mapear as entidades sociais que possam ser beneficiados com estes. “O que vai mais uma vez incrementar o cardápio e o valor nutricional de muitas pessoas e famílias”, afirma Alves. “Também fortalecer o nosso campo ao se valorizar o que é daqui”, ressalta Braun. A servidora Marli Hauschild, que coordena a gestão do programa, completa. “O município já foi contemplado com propostas nos anos anteriores e a avaliação mostra a relevância desse programa de forma intersetorial. Há um grande ganho no meio rural, que tem um mercado garantido para comercializar seus produtos. E estes produtos, por sua vez, estarão chegando em diversas entidades para incrementar as refeições oferecidas ou através de cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade social”, explica ela.

 

Texto e fotos: Rodrigo Angeli
Assessoria de Imprensa Prefeitura de Estrela