Cultura Lajeado

Roda de conversa na Casa de Cultura debate os 131 anos da abolição da escravatura no Brasil

Nesta segunda-feira, 13/05, dia em que a abolição da escravatura no Brasil completa 131 anos, a Comunidade Quilombola Unidos de Lajeado e Prefeitura de Lajeado promoveram uma roda de conversa sobre a abolição e seus reflexos nos dias atuais. O evento lotou a Casa de Cultura e reuniu integrantes da comunidade Quilombola, autoridades, alunos do Colégio Presidente Castelo Branco, servidores do município e comunidade.

A ação teve como objetivo ressignificar a data, promover uma discussão sobre a visão dos negros sobre o fim da escravidão no Brasil e discutir sobre a cultura do negro no Município de Lajeado.

Assim como em todas as rodas realizadas pela comunidade Quilombola, a roda iniciou com saudação aos ancestrais com música da cultura afro. Cada um com seu instrumento, crianças tocaram em homenagem ao Dia das Mães, comemorado no domingo, 12/05.

A roda foi ministrada pelo mestre de capoeira Karkará, pelo coordenador do projeto guarda mirim de Pelotas, Gilberto Marques, pelo representante do Centro de Cultura Afro-brasileira Recioli dos Santos, e pela integrante da comunidade Camila da Silva Marques.

“O que aconteceu após a libertação foram diversos problemas, pois a Lei Áurea libertou os escravos mas não os tornou cidadãos”, disse Gilberto Marques.

Por sua vez, Camila da Silva Marques explicou ao público sobre racismo institucional. “O racismo institucional é aquele que ocorre em instituições, sejam eles órgãos públicos, escolas ou em universidades. O racismo institucional é quando as instituições nos fecham as portas, e como a gente entra nelas?”, questionou.

Hoje, são mais de 120 pessoas que pertencem à comunidade de quilombolas de Lajeado.

“Se eu tivesse a oportunidade de nascer de novo, eu nasceria negra, para mostrar que lugar de negro é onde ele quiser. Quero incentivar outros negros para se colocarem à frente e mostrar que não somos diferentes”, afirmou Camila Marques.

A ação encerrou com o lanche tradicional da comunidade Quilombola.

 

Texto e fotos: Pietra Darde
Assessoria de Imprensa de Lajeado