Região RS RSS Rural - Agricultura

Roteiro leva associados para dentro das indústrias

Associados conheceram indústria de leite UHT e leite em pó (Foto: Carina Marques)

A Dália Alimentos iniciou um roteiro que consiste em uma série de visitas envolvendo o quadro social. O objetivo do Conselho de Administração e da Direção da cooperativa é de que os associados conheçam a estrutura da empresa, principalmente a operacionalidade das indústrias, que recebem a produção vinda do campo.

O primeiro grupo a participar do roteiro foi o da região de Serafina Corrêa, no dia 31 de agosto, acompanhada pelo conselheiro Jacir Zanuzzo. A comitiva de 13 pessoas conheceu a Indústria de Leite em Pó e Leite UHT e o Abatedouro de Aves, ambos localizados no município de Arroio do Meio, em Palmas.

A recepção foi realizada pelo gerente da Divisão Produtos Lácteos, Antonio Salazar, que falou a respeito da unidade instalada com capacidade para industrializar 1,1 milhão de litros de leite por dia. De acordo com ele, a indústria envasa produto Dália e também presta serviço e terceiriza produtos para marcas próprias, a exemplo da parceria de mais de uma década com o Grupo Pão de Açúcar (GPA), a quem a Dália envasa o leite da marca Qualitá; e também com o Grupo Dia %.

Os supervisores da linha de leite em pó, Geovane da Costa e da linha UHT, Guilherme Ricardo, junto ao encarregado de produção de leite em pó, Ricardo José Pinheiro, apresentaram o funcionamento da indústria. Dentro da fábrica, os associados acompanharam e conheceram cada etapa do processo, desde o recebimento do leite até a expedição do produto acabado.

A produção na unidade, que em junho completou cinco anos de operação, começou inicialmente com leite em pó, cuja capacidade instalada era para 460 mil litros diários. Mais tarde, foram instaladas duas linhas de produção para leite UHT e uma linha de Creme UHT com capacidade de 600 mil litros de leite/dia e 36 mil quilos de creme/dia.

Na linha de leite em pó Costa explicou as etapas, que envolvem desde o recebimento do leite, o processo de pasteurização, a concentração, a secagem, o envase até a expedição. Na linha UHT, Ricardo também apresentou cada etapa do processo, similar ao outro, que inclui recebimento, pasteurização, industrialização, estocagem, envase e expedição.

Além das constantes melhorias realizadas na unidade de Palmas, durante a visita foi possível acompanhar a montagem das plataformas individuais no Setor de Recebimento de Leite, isso para que o operador acesse com segurança a parte superior dos caminhões-tanque dos transportadores de leite. “O investimento tem como objetivo minimizar a exposição de nossos colaboradores a acidentes durante o serviço”, explica Salazar.

Visita ao abatedouro de aves

O grupo também foi conduzido às obras do abatedouro de aves, cuja etapa civil está 95% concluída. A condução da visita foi do gerente da Divisão Frango de Corte, Pedro Raul Mallmann, que apresentou o prédio que terá capacidade para abater, numa primeira etapa, 55 mil frangos por dia. Com tecnologia de ponta e moderna estrutura, a planta tem a conclusão de 20% da instalação dos equipamentos e maquinários, sendo que três máquinas destinadas à sala de cortes serão importadas da Holanda.

Na sede da Dália Alimentos, em Encantado, o grupo foi recebido pelo presidente do Conselho de Administração, Gilberto Antônio Piccinini e pelo presidente Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas. Piccinini avaliou a visita como uma oportunidade para reforçar que a cooperativa é o lugar de cada associado. “A Dália é a casa de vocês, por isso podem chegar quando quiserem”. O presidente enfatizou que existe um canal aberto entre cooperativa e associados e que eles podem e devem ter acesso ao que está acontecendo de novo na cooperativa, uma empresa que investe constantemente em tecnologia e inovação.

Segundo Freitas, que apresentou os investimentos realizados e previstos, essas visitas proporcionam aos associados conhecer o tamanho, a dimensão, o nível de tecnologia e de automação que a cooperativa possui. “É comum termos associados que entregam a produção e não conhecem a cooperativa e, a partir do momento que eles passam a conhece-la, começam a acreditar e a valorizá-la ainda mais, verificando a grandiosidade do empreendimento Dália”.

Orgulho de produzir ‘Dália’

Impressionado com a modernidade das instalações de ambas as fábricas – tanto na unidade de lácteos (em funcionamento), quanto ao projeto de abatedouro de aves (em fase de execução), o associado Volmir Formagini (55), da cidade de União da Serra, disse ter orgulho de ser associado à Dália. Sócio desde o ano 2000, Formagini produz 400 litros de leite por dia e também trabalha com suínos, no modo terminação, com 250 cabeças alojadas. Ele tem ajuda da esposa Anides (49), com quem teve dois filhos: Maurício (23) e Márcio (14).

Texto: Ascom Dália Alimentos