Artigos - Saúde e Bem-estar

“Rotulagem de Alimentos: Será que sabemos o que comemos?” – por Daiane Bergamaschi

daiane-bergamaschi-nutricionista-pos-graduada-em-gestao-da-qualidade-no-processamento-de-alimentos
Daiane Bergamaschi (Foto: Divulgação)

Entender as informações contidas nos rótulos é imprescindível para optar por alimentos mais saudáveis, mas será que os rótulos de alimentos estão sabendo se comunicar com os consumidores? E nós, nos interessamos em procurar e compreender tais informações?

Nas prateleiras dos supermercados nos deparamos com inúmeros alimentos, e por muitas vezes, ficamos em dúvida de qual levar para casa. A tomada de decisão para a compra de determinado produto é baseado em diversos fatores, tais como: a marca, o preço, o sabor, as informações nutricionais, se é específico para um determinado público, como no caso dos diet, light, sem lactose, sem glúten, dentre outros.

De forma geral, a rotulagem é uma ótima alternativa de viabilizar a comparação entre produtos, mas o fato dela ser obrigatória não quer dizer que os consumidores a estejam utilizando como um mecanismo para ter uma alimentação mais saudável, e assim, diminuir os exageros alimentares e consequentemente, os danos ocasionados à saúde. Vários dados mostram o crescente aumento de peso e alta incidência de doenças crônicas na população, advindas do consumo de alimentos calóricos, ricos em gordura, açúcares e sódio.

Pesquisas feitas pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) salientam que as informações de rotulagem ainda não são bem compreendidas pelos consumidores, e a publicidade de alimentos, particularmente voltada para crianças, não faz uso de práticas justas, acabando por incentivar o consumo de alimentos pouco saudáveis entre as famílias brasileiras.

Um dos itens obrigatórios presente nas embalagens, é a tabela de informação nutricional, que por muitas vezes não é utilizadas pelos consumidores, que acham de difícil entendimento. Ela permite identificar a quantidade de nutrientes que contém na porção de determinado alimento, mas isso realmente não é uma tarefa fácil.

Outro item importante é a lista de ingredientes, que passa despercebida em função do tamanho das letras, que são pequenas e dificultam a sua visualização. Você sabia que os ingredientes são descritos em ordem decrescente de quantidade? O primeiro ingrediente listado é o que está em maior quantidade no produto, por isso é importante observar o local da lista que se encontra, principalmente, a farinha branca e a gordura vegetal hidrogenada.

A regra geral de um alimento é que, quanto mais curta a lista de ingredientes melhor deverá ser o produto, ou seja, menos processado e com menos aditivos alimentares, mas claro que se deve sempre observar todos os ingredientes da lista.

Acredito, que o perfeito entendimento da Rotulagem de Alimentos é um desafio para os consumidores, e a Anvisa, órgão regulamentador, deve fiscalizar e cobrar da indústria alimentícia fidedignidade e clareza dessas informações.

Daiane Bergamaschi – Nutricionista Pós-graduada em Gestão da Qualidade no Processamento de Alimentos