Saúde Cruzeiro do Sul

Samu começa atender comunidade cruzeirense

Desde esta quinta-feira, dia 1º de agosto, os munícipes de Cruzeiro do Sul contam com o atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Num primeiro momento anunciado para iniciar os atendimentos de urgência e emergência no dia 1º de junho, algumas questões burocráticas não permitiram que isso ocorresse.

Conforme o secretário Municipal da Saúde e Saneamento, Israel Moccelin, a pactuação necessário não havia sido informada por parte do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Rio Taquari – Consisa VRT após a assinatura do contrato. “Algumas pessoas começaram a ligar para o 192 para solicitar o serviço e foram informadas de que o município não possuía cobertura. Num primeiro momento isso também nos deixou surpresos e fomos atrás, descobrindo que não bastava apenas ter assinado o convênio”, esclarece o secretário.

O próximo passo foi emitir à Comissão Intergestores Regional (CIR) o oficio de adesão do município ao Samu. Na sequência foi repassada essa deliberação ao Samu estadual, para o gerenciamento da liberação efetiva do ingresso de Cruzeiro do Sul no seu mapa de atendimento. Superado todo o processo burocrático, a partir de agora, o Serviço está disponível para toda população.

O investimento mensal do Município para manter o convênio será de R$ 9.094,60 o que corresponde a R$ 0,74 por habitante, com base na população apontada pelo IBGE em 2018.

 

O Serviço

Conforme o Consisa, é importante esclarecer à população que o Samu deve ser solicitado somente nas situações de urgência e emergência. Tipos de atendimento: domiciliares – traumatismos, surtos, acidentes domésticos, gestantes, mal súbito, etc; apoio a catástrofes; traumas como – acidentes de trânsito, quedas, ferimentos com arma de fogo.

Para contatar o Serviço, qualquer cidadão que precisar de urgência e emergência deverá ligar gratuitamente para o número 192, onde será atendido pela Central de Regulação, sediada em Porto Alegre. Um médico questionará sobre a situação que a pessoa se encontra e o local, para oferecer o melhor atendimento. Assim, ele saberá que tipo de Unidade de Suporte – Básica ou Avançada – será preciso disponibilizar para o socorro.

Foto: Natalia Ribeiro/Grupo Independente