Saúde RS RSS Destaques

Saúde orienta sobre mamografia e expõe objetivos do Outubro Rosa

O secretário João Gabbardo dos Reis apresentou as diretrizes para prevenção do câncer de mama aos coordenadores regionais de Saúde (Foto: Mirian Barradas/SES)
O secretário João Gabbardo dos Reis apresentou as diretrizes para prevenção do câncer de mama aos coordenadores regionais de Saúde (Foto: Mirian Barradas/SES)

Os objetivos do Outubro Rosa e as diretrizes para prevenção do câncer de mama foram apresentados pelo secretário da Saúde, João Gabbardo dos Reis, aos 19 coordenadores regionais de Saúde, na sexta-feira (6).

O Outubro Rosa deveria focar no acesso à informação, na prevenção e no diagnóstico precoce, e não na mamografia. O exame representa diagnóstico, e não prevenção”, ressaltou Gabbardo.

A mamografia é indicada para mulheres assintomáticas de 50 a 69 anos, que devem realizar esse exame de rastreamento a cada dois anos, e para mulheres sintomáticas ou com histórico familiar de câncer de mama.

De acordo com o secretário, essas recomendações são as preconizadas pela Organização Mundial da Saúde, o Ministério da Saúde e o Instituto Nacional do Câncer e seguem parâmetros internacionais de rastreamento.

Gabbardo explicou que, apesar do câncer de mama ter alta taxa de mortalidade, é preciso observar que o exame de mamografia não é preventivo, e um método de diagnóstico. “A prevenção primária se dá com a mudança de hábitos de vida, como alimentação adequada, atividade física e a prática do aleitamento materno”, afirmou.

Questionado sobre limitação de mamografias dentro do Sistema Único de Saúde, Gabbardo falou que os médicos continuam com autonomia total para prescrever os exames que considerarem necessários. “Nunca vai haver bloqueio de um exame solicitado por um médico”, garantiu.

Na entrevista coletiva, o secretário também informou que não é mais aconselhado o autoexame da mama, pois estudos mostram que as mulheres descobrem tumores de forma casual, em situações cotidianas e não no autoexame. As mulheres devem estar atentas à presença de nódulos, especialmente os fixos e endurecidos, ou outras alterações na pele ou formato da mama.

O secretário ressaltou que é uma obrigação da gestão pública passar orientações oficiais. Por isso, reuniu hoje os 19 coordenadores regionais para apresentar a posição da SES sobre o Outubro Rosa, que será compartilhada com as secretarias municipais de Saúde.

Texto: Ascom RS