Rural - Agricultura Capitão

Segundo Encontro de Sementes Crioulas reúne agricultores em Capitão

Com o tema “A gente é o que come”, o segundo Encontro de Sementes Crioulas de Capitão reuniu na quarta-feira (26/06) cerca de 60 agricultores, estudantes e lideranças na Escola Estadual de Ensino Médio do município. O evento, organizado pela Prefeitura, Emater/RS-Ascar, Comissão Pastoral da Terra e Centro de Apoio e Promoção à Agroecologia (Capa), possibilitou a permuta de sementes, de raízes e de mudas, a degustação de alimentos produzidos a partir de cultivos crioulos e a troca de experiências sobre o assunto. Durante a tarde, em meio a momentos de reflexão, também foram realizadas apresentações musicais.

Na ocasião também houve palestra com o assistente técnico regional em Manejo de Recursos Naturais da Emater/RS-Ascar, Marcos Schäfer, que abordou o tema “Sementes crioulas e o movimento na busca da consciência”. Em sua fala, convidou a plateia a repensar hábitos e a se conscientizar sobre a importância da empatia, solidariedade e da conexão com a natureza e com o outro. “Há todo um simbolismo no resgate, na manutenção e na multiplicação das sementes crioulas, que remete não apenas a segurança e a soberania alimentar, mas também a partilha e ao amor”, ponderou.

Como forma de complementar a atividade ministrada por Schäfer, a agricultora Oldi Jantsch, conhecida como Tiririca, realizou uma pequena oficina para elaboração de produtos naturais como o biofertilizante supermagro e o sal mineral caseiro. “Para nós, produtores, um evento desse tipo representa uma oportunidade”, avalia o agricultor Adário Schuck. Na localidade de São Jacó, em que mora com a esposa e os filhos, as frutas e verduras para o consumo da família são todos orgânicos. “Até o sabor do alimento é diferente, além de ser mais saudável”, avalia o produtor, que levou mudas de figo para o encontro.

Em volta da mesa com mais de 25 variedades de sementes, raízes e mudas – de trigo morisco a cará aéreo, passando por ora pro nobis e babosa -, Schuck procurava temperos e sementes de abóbora. “As que eu tinha foram levadas por uma ventania”, recorda. Para Schäfer, o aumento do número de eventos que visam a promover a troca e a multiplicação de sementes crioulas – somente no Vale do Taquari foram três recentemente, nos municípios de Ilópolis, Dois Lajeados e Arroio do Meio -, tem a ver uma maior conscientização da população para este tema. “Estamos falando de saúde, afinal”, analisa.

Para a professora Miriam Gasparotto iniciativas como esta são de grande importância, ainda mais diante de uma conjuntura político-econômica em que parece haver uma promoção do aumento do número de agrotóxicos disponíveis para uso na agricultura. “Promover a preservação das variedades crioulas é algo que historicamente trabalhamos na escola, buscando a sustentabilidade, a qualidade de vida e o respeito ao meio ambiente”, explica. “Muitas vezes as pessoas prestam atenção apenas no aspecto econômico e a nossa satisfação com esse projeto revolucionário não é apenas material”, enfatiza.

O evento contou com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Articulação em Agroecologia do Vale do Taquari (AAVT) e secretaria municipal de Agricultura e Meio Ambiente. Entre as autoridades presentes, o prefeito de Capitão Paulo César Scheidt ressaltou a importância do debate e do trabalho em parceria na busca por uma alimentação mais saudável e que também procura estimular o jovem para a permanência no campo. Também estiveram no encontro secretários, vereadores e os extensionistas da Emater/RS-Ascar Lilian Arnhold e Luciano Cavaletti.

 

 

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional Lajeado
Jornalista Tiago Bald