Saúde Eventos Colinas

Servidores da Secretaria de Saúde, Assistência Social e Habitação de Colinas participam de seminário sobre suicídio

Evento ocorreu na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Nesta terça-feira, dia 22 de outubro, a técnica de enfermagem, Roseli Alonia Mohr, e o assistente social, João Pedro Greef Burkt Filho, participaram do 2º Seminário Estadual “Autolesão e Comportamento Suicida na Infância e Adolescência: Prevenção e Posvenção”, que teve como foco a autolesão e o comportamento suicida em crianças e adolescentes. “Falar de suicídio é falar de saúde pública, pois o Rio Grande do Sul possui as maiores taxas de mortes autoprovocadas do país”, defendeu o médico da família e comunidade André Luís Bendl, um dos palestrantes.

O evento foi promovido pelo Comitê Estadual de Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio e lotou o auditório da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

No Brasil, em 2016, a taxa de suicídio foi de 6,5 suicídios a cada 100 mil habitantes e no Estado esse índice foi de 11,4, ou seja, quase o dobro do que a média nacional. Já em Colinas, segundo os dados obtidos a partir do Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN, ocorreram sete suicídios nos últimos 10 anos. Além destes, há ainda os atendimentos às tentativas de suicídio, ideações suicidas, que é quando a pessoa sente vontade ou lhe ocorre a ideia se suicídio, além de depressões severas.

“A morte por suicídio é apenas o ato final e toda a sociedade pode contribuir pela prevenção”, colocou o médico. Ele ressaltou também que quem tenta o suicídio não quer realmente morrer, mas sim, interromper uma dor psíquica intensa. “A ideação suicida é um fenômeno complexo e multifatorial. Não tem causa apenas emocional, mas também pode ter impacto genético e neurobiológico”, acrescentou Bendl. “Sofrer é humano. A questão não é sofrer, mas o que se faz com esse sofrimento e ter recursos emocionais para lidar com situações adversas”, concluiu.

Esta foi a segunda edição do seminário, sendo que a primeira, realizada em agosto, esgotou as inscrições nos primeiros dias. “A grande procura ao evento nos mostra que os profissionais de saúde e de educação estão preocupados e precisando saber como lidar com esse tema, tão recorrente entre as crianças e adolescentes”, explica Andreia Volkmer, coordenadora do Comitê.

Os integrantes do grupo também realizam orientações nas escolas em que são chamados para conversar sobre o assunto com os estudantes.

 

Prevenção

Para ajudar os profissionais que lidam com essa situação, de áreas como saúde, educação e segurança pública, o Comitê publicou o Guia Intersetorial de Prevenção do Comportamento Suicida em Crianças e Adolescentes.

Para os servidores, a participação em eventos desse porte é muito importante para que se conheça estratégias positivas para trabalhar a questão da autolesão e do suicídio, cada vez mais presente na sociedade.

A Secretaria Municipal de Saúde de Colinas possui uma estrutura e servidores capacitados para atuarem em questões ligadas a saúde mental. “Além do atendimento de psiquiatria e psicologia, contamos com uma equipe de enfermagem atuante, agentes comunitárias de saúde capacitadas, encontros de Oficinas Terapêuticas para prevenção e promoção de cuidados em saúde mental, além de proporcionar acolhimento e escuta dos pacientes na Unidade Básica de Saúde”, comenta a secretária Patrícia Nietiedt.

Se você precisa de ajuda ligue para o posto de saúde no telefone 3760.4028 ou 3760.1062 e converse com alguém.

 

 

Fotos: Divulgação
Assessoria de Imprensa de Colinas