RS RSS Eventos Destaques

Texel é primeiro a chegar dos mais de 6 mil animais esperados na Expointer

Pelo segundo ano, exemplar da raça Texel da cabanha Oliveira, de Uruguaiana, é o primeiro animal a chegar na Expointer - (Foto: Karine Viana/Palácio Piratini)
Pelo segundo ano, exemplar da raça Texel da cabanha Oliveira, de Uruguaiana, é o primeiro animal a chegar na Expointer – (Foto: Karine Viana/Palácio Piratini)

Considerados as principais atrações da 39ª Expointer, os animais começaram a chegar na manhã desta segunda-feira (22) ao Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Para esta edição, são aguardados 4.285 animais de argola, para participar de competições, e 2.087 rústicos em uma das maiores mostras agropecuárias da América Latina. A solenidade de abertura será neste sábado (27) e os portões estarão abertos ao público até o dia 4 de setembro.

O primeiro animal a chegar ao desembarcadouro, pelo segundo ano consecutivo, foi um carneiro da raça Texel de um ano e seis meses da cabanha Oliveira, de Uruguaiana. O ovino, que vai competir na categoria adulto, começou a viagem até Esteio às 2h acompanhado de mais 10 animais. Segundo o cabanheiro Carlos Velásquez, este é o 14º ano que a cabanha participa do evento e a chegada antecipada à feira é uma tradição que traz maior conforto para os animais.

Para o subsecretário do parque, Sérgio Bandoca Foscarini, a recepção e inspeção sanitária em um dia ensolarado demonstra como será o clima da edição. “Ficamos até surpresos porque tivemos um ano atípico, sem a correria das outras edições. Nossa maior preocupação é darmos condições aos animais, mas também aos visitantes, expositores e todos que vêm à Expointer”, afirma.

Todos os animais que chegam ao parque devem possuir o Guia de Trânsito Animal (GTA) e estar em dia com as exigências sanitárias conforme a demanda cada espécie. De acordo com o inspetor do Departamento de Defesa Agropecuária, o médico veterinário Revir Milani, o primeiro passo da inspeção é conferir a documentação assim que os animais desembarcam. Depois, são feitos exames para detectar possíveis ectoparasitas (que vivem fora do corpo do hospedeiro) e doenças transmissíveis. Ao todo, são cerca de 150 profissionais trabalhando na inspeção sanitária.

A mostra agropecuária recebe animais de argola até um dia antes da abertura. A partir desta terça-feira (23), a entrada é autorizada das 6h à meia-noite. Já os rústicos, que vão à comercialização, podem ingressar todos os dias da feira.

Expectativas
A comercialização de animais em 2015 registrou aumento de 23% em relação ao ano anterior. Foram R$ 15,5 milhões na venda e R$ 1,7 bilhão em negócios. “Estamos com uma expectativa positiva, mas é claro que hoje vivemos um cenário que traz preocupações e impacto no número de negócios. Fizemos grande esforço para melhorar a estrutura do parque e buscamos economizar no que fosse possível. Aqui não há somente a troca de negócios, mas também de conhecimento e uma integração muito forte entre o campo e a cidade”, destacou o secretário de Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo.

Entre os esforços para economizar nesta edição está a redução do número de diárias. De acordo com o secretário, os gastos devem chegar a R$ 300 mil, uma diminuição significativa se considerar a edição 2014 que atingiu mais de R$ 800 mil em diárias. Já entre as melhorias, estão dois novos lavadouros – um para equinos e outro para gado de corte – e a iluminação nas ruas do parque, que será gerada a partir de energia solar.

A 39ª Expointer oferece ao público, além da aproximação com a agropecuária gaúcha, atrações gastronômicas e culturais como a Feira da Agricultura Familiar, a Exposição de Artesanato do Rio Grande do Sul (Expoargs), as disputas finais do Freio de Ouro, palestras, shows, julgamentos e leilões. Acompanhe a programação e as notícias no site.

Texto: Ascom Estado