Venâncio Aires Social

Thedy Corrêa é o patrono da 20ª Feira do Livro

A música, as histórias, a arte de Thedy Corrêa serão ponto central da 20ª edição da Feira Municipal do Livro de Venâncio Aires. O gaúcho, líder da Banda Nenhum de Nós, foi anunciado nesta tarde, 9, como o Patrono da edição da festa da literatura na Capital do Chimarrão.

Com tema “Tudo a Ler”, a Feira deste ano vai impulsionar a leitura ainda mais, mostrando que é possível ler de diversas formas, seja em livros físicos ou virtuais. Com o slogan de apoio #Lerétudodebom (Ler é tudo de bom) a organização quer impulsionar a leitura e possibilidades que o mundo digital proporciona.

Patrono e Tema foram escolhidos pela equipe que lidera a Feira do Livro com a preocupação de ambos estarem alinhados. Thedy Corrêa é músico e escritor e vai proporcionar arte e cultura de diversas formas aos visitantes da 20ª edição.

Nesta tarde, além da apresentação do Patrono e do tema de 2019, a logomarca também foi divulgada. A arte com predominância das cores roxo e amarelo apresenta diversos personagens interagindo com a arte das palavras. A campanha é assinada pela Coordenadoria de Comunicação da Prefeitura.

Após a divulgação também da Pré-programação, o público pode conferir o show da Orquestra Municipal de Imigrante, que abrilhantou o “início” da Feira do Livro deste ano. A programação ocorreu em um palco montado ao ar livre junto ao Barão Bar e Prosa, no centro da cidade.

Patrono:

Gaúcho de Porto Alegre, o músico iniciou a carreira com o Nenhum de Nós na década de 80. Em 2006 lançou seu primeiro livro intitulado Bruto, uma reunião de poemas, entre eles letras de algumas canções do Nenhum de Nós com as histórias e circunstâncias que as geraram. Seu segundo livro lançado em 2010 pela L&PM, intitulado “Livro de Astro-Ajuda”, reúne contos e alguns textos publicados em seu blog, o qual recebe o mesmo nome. Atualmente ele trabalha para lançar o 3º livro , “Noite Ilustrada” que chegará às livrarias no dia 25 de setembro.

Pré-programação – Autores que participarão da 20ª edição

-Eleonora Medeiros, nasceu em Alegrete, atualmente mora em Uruguaiana, fronteira do Brasil com a Argentina. Desde os 13 anos, escreve suas histórias em diários e cadernos de rabiscos. Cursou Pedagogia pela URCAMP, Curso de Criação em Dramaturgia – Escrita para Teatro – pela TEPA e vários cursos de Escrita Criativa. Possui seis publicações (Luzia A Gatinha Pretinha, Uma Colcha para Cobrir o mundo, A Princesa Escabelada e o Galante Vendedor de Pentes, Bandele, Um Livro Fascinante, Comadre Onça) pela Editora ViaPampa. Realiza Espetáculos Literários em Escolas e Feiras de Livros. Possui um Projeto Social chamado Mar de Livros, onde oferece uma biblioteca de grande qualidade literária para comunidades de difícil acesso ao livro. Ministra oficinas sobre a arte de contar histórias, para pessoas interessadas a perpetuar a tradição milenar de encantar com as palavras.

Influenciaram a escritora Eleonora Medeiros, as leituras que fez de celebres escritores como Fanny Abromovich, Ítalo Calvino, Regina Machado, Ruth rocha, Eva Furnari, Marina Colassanti e muitos outros mestres da palavra. A intimidade da escritora com os processos de narrativa, seu profundo respeito pelo leitor e a certeza da infância eterna dentro de todos os seres humanos, que é despertada pela boa narrativa, levaram Eleonora a criar suas belas histórias.

-Chiquinho (Jankiel Francisco Cláudio) nasceu em Caxias do Sul, no bairro Marechal Floriano em 1980. E foi em 1995 que Chiquinho se identificou com o hip hop, quando escutou os primeiros discos de rap nacional. Fundou o grupo Poetas Divilas em 1997 com seu parceiro e MC Paulista (Marcelo Santos). Ministrou também palestras para professores do municipio de Caxias do Sul, com o tema sobre Cultura Juvenil. Possui um artigo no livro: Hip Hop a Lápis, A literatura do oprimido, (pág, 83 a 85) este, lançado em São Paulo no ano de 2009 com a participação de diversos rappers do Brasil. Também escreveu a primeira monografia com o tema “Hip Hop” na Universidade de Caxias do Sul – UCS, “RP Comunitárias e o Hip Hop: A comunicação Pedagógica em busca da Cidadania”. Graduado em Relações Públicas pela UCS (2010). Pós graduado em Gestão de Pessoas na mesma universidade (2011), contrariando as estatísticas, Chiquinho promoveu a primeira Festa de Formatura com a Comunidade, dividindo a conquista com crianças, adolescentes e moradores dos bairros pobres. O slogan do grupo Poetas Divilas é “O estudo é a cura” no qual o grupo acredita que o hip-hop possa ser inserido como uma alternativa pedagógica em busca da cidadania. Em 2014, Chiquinho foi agraciado com o prêmio JOVEM DE ATITUDE, pela Criança Feliz. Em 2015 recebeu a Medalha da Comenda Zumbi dos Palmares de Caxias do Sul. Realiza oficinas de hip hop, uma vez por semana, no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) – Farroupilha, direcionado para o Serviço de Proteção Social à adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa de Liberdade Assistida (LA). Em 2016, está participando de um projeto com o POP RUA em Caxias do Sul, coordenando oficinas de hip hop, para pessoas em situação de rua. Além de estar atuando na gravação do novo cd do Poetas Divilas, Foi eleito CONSELHEIRO DE CULTURA em Caxias do Sul. Chiquinho também é Mestrando em Diversidade Cultural e Inclusão Social na Universidade Feevale-RS

Feira do Livro

A 20ª Feira do Livro acontecerá entre os dias 22 e 25 de agosto no Parque do Chimarrão. A organização é da Prefeitura em parceria com o SESC.