RS RSS Rural Ilópolis

Unidade de observação em Arborização de Erva-Mate é instalada em Ilópolis

Intuito é produzir erva-mate com maior ganho em sustentabilidade ambiental e conservação da biodiversidade (Foto: Divulgação)

Com o objetivo de produzir erva-mate com maior ganho em sustentabilidade ambiental e conservação da biodiversidade, a Emater/RS-Ascar iniciou a instalação de uma unidade de observação em Arborização de Erva-Mate no município de Ilópolis. O modelo, que trata da reconversão de um erval adulto a pleno sol em um erval sombreado por meio da introdução de um sistema agroflorestal (SAF), está sendo implantado na sede da empresa Inovamate, que tem dirigido suas atividades industriais para a produção de chás de erva-mate.

Parte das ações do Programa Gaúcho para a Qualidade e a Valorização da Erva-Mate, o sistema utiliza espécies arbóreas nativas como forma de promover a proteção e o sombreamento dos ervais. “Nesse sentido, o sistema agroflorestal de erva-mate consiste-se de uma tecnologia que permite melhorar a qualidade sem perder a produtividade do erval”, destaca o assistente técnico regional de Erva-Mate da Emater/RS-Ascar, Ilvandro Barreto de Melo, que afirma que a Instituição já trabalha com o modelo desde o ano 2000.

Uma das sócias da Inovamate, a empresária Ariana Maia ressalta o fato de o erval manejado por meio do SAF ter maior equilíbrio ambiental, ampliando a sua vida útil e respeitando a floresta onde está inserida, que possui certificação orgânica. “Nesse sentido, além de o produtor ter condições de agregar valor a sua matéria-prima, a indústria terá um insumo de qualidade e consumidor disporá de um alimento seguro”, avalia. “Na Inovamate acreditamos na erva-mate como uma experiência a ser vivida, valorizando a cultura e o meio ambiente”, salienta.

Outro ponto amplamente destacado por Ariana envolve a oportunidade para a sucessão familiar no meio rural, possibilitada pelo modelo. “A produção de erva-mate já acompanha a família do Clovis (Roman, sócio no empreendimento) há duas gerações, sendo que a criação da empresa em 2016 tem a ver com a observação do cenário para o produto e na crença da planta como uma matéria-prima para além do chimarrão”, analisa. “Foi assim que surgiu a oportunidade de empreender e desenvolver novos produtos, com boas práticas de cultivo e que estejam alinhadas com aquilo que pensa o consumidor moderno”, conclui.

Texto: Ascom Emater/RS-Ascar – Regional de Lajeado