Saúde RSS Lajeado

Univates realiza projeto no Bairro Santo Antônio

Grupos de voluntários, bolsistas e professores fazem acompanhamento no bairro nas terças-feiras (Foto:  Tiago Silva)
Grupos de voluntários, bolsistas e professores fazem acompanhamento no bairro nas terças-feiras (Foto: Tiago Silva)

Durante as tardes de terça-feira, a atenção de oito equipes constituídas por professores, estudantes voluntários e bolsistas da Univates está voltada para 13 famílias do bairro Santo Antônio que têm doentes crônicos. Momentos de conversa e interação, em que são compartilhadas questões do cotidiano familiar, servem para fundamentar as ações de assistência no âmbito do projeto “Ações interdisciplinares de cuidado em saúde no bairro Santo Antônio – Lajeado/RS”.

O trabalho é desenvolvido desde 2009 e o bairro, com aproximadamente cinco mil habitantes, foi escolhido por haver maior demanda na cidade, conforme indicou o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As famílias participantes são escolhidas por intermédio da unidade de Estratégia de Saúde da Família (ESF) do bairro.

A partir disso, é feito acompanhamento semanal de acordo com as necessidades de cada uma das famílias, em uma metodologia chamada de terapêutica singular. “Geralmente, nós atendemos pessoas com doenças crônicas e que apresentam mais de uma patologia”, explica a professora Marilucia Vieira dos Santos, coordenadora do projeto.

Participam da ação multidisciplinar não só alunos dos cursos de saúde. “Desde o ano passado, temos maior número de estudantes voluntários dos cursos das Ciências Humanas e Sociais, assim como já tivemos participação dos estudantes das Engenharias”, diz Marilucia, que entende que os cuidados em saúde vão além de consulta com especialistas. “Há todo um contexto socioeconômico envolvido, que dever ser entendido para atuação das equipes. O olhar terapêutico precisa ser feito não apenas para o usuário em questão, mas para acompanhamento de toda a família.”

Como são as visitas
As visitas são realizadas por cerca de 40 alunos voluntários a cada semestre, divididos em equipes multidisciplinares e coordenados por professores da Instituição. Ao final dos atendimentos, as equipes se reúnem na ESF do bairro para discutir os casos clínicos e planejar ações interdisciplinares para as próximas visitas às famílias. “Nós percebemos que, a partir desse acompanhamento, as pessoas se sentem motivadas e elevam sua autoestima, além de melhorar seu conhecimento sobre o processo de autocuidado. Isso é fundamental para atingir os objetivos do projeto”, afirma Marilucia.

Para a enfermeira coordenadora da ESF do bairro, Ernanda Mezaroba, o auxílio multidisciplinar que o projeto oferece é fundamental. “A comunidade necessita desse atendimento. Sem isso, as famílias teriam que procurar fora do bairro e passariam muito tempo esperando para serem atendidas”, ressalta. “As pessoas com doenças crônicas têm dificuldade em se locomover. Com as equipes vindo para o bairro, fica muito mais fácil”.

Agente comunitária de saúde no Santo Antônio, Josuana Gonçalves percebe que as pessoas assistidas pelo projeto entendem as visitas como um momento de conselho e desabafo, já que passam por uma situação difícil. “Eles acabam criando um vínculo com os voluntários”, afirma.

Aprendizado
Para os acadêmicos que integram o projeto, as visitas funcionam como um aprendizado. Regina Pereira Jungles, estudante de Psicologia, acredita que o trabalho desenvolve a arte da escuta — fundamental para sua área de formação. “Possibilita-nos o crescimento pessoal e profissional, com um outro olhar sobre nossa formação”, conta ela, que integra a equipe como bolsista há dois anos.

Já Alice Tormena é uma das novas voluntárias que começaram neste semestre. No segundo semestre de Biomedicina, Alice conheceu a iniciativa por meio de um vídeo apresentado em uma das disciplinas do curso. Desde então, procurou saber como eram as atividades para poder participar. “Eu já tinha noção de algumas atividades da minha área, mas tendo contato com a prática, nossa aprendizagem é muito melhor”, estima.

Assim como Alice, alunos que tenham interesse em participar podem entrar em contato com a coordenação do projeto pelo e-mail projetosocial@univates.br ou pelo telefone (51) 3714-7000, ramal 5591.

Atividades desenvolvidas
– Visitas domiciliares a participantes do projeto
– Momentos de tutorias e orientação com professores responsáveis
– Rodas de conversas com acadêmicos, professores e membros da ESF do bairro Santo Antônio
– Oficinas com entidades parceiras no bairro
– Participação em eventos científicos

Texto: Portal Região dos Vales/Ascom Lajeado