Encantado RSS Destaques Geral

Vale do Taquari define as prioridades da agenda RS 2030

Presidente da Famurs (Foto: Elisangela Favaretto)
Presidente da Famurs (Foto: Elisangela Favaretto)

Prefeitos, secretários municipais, vereadores e representantes de associações do Vale do Taquari estiveram reunidos em Encantado para debater o futuro do Estado nos próximos 13 anos. O encontro ocorreu na quarta-feira (29), às 14h, no auditório Brasil do Centro Administrativo Municipal.

O projeto RS 2030 foi criado pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) para discutir ideias e propostas que possam levar o Estado e os municípios gaúchos ao crescimento. Além disso, o projeto procura fomentar a qualidade de vida e o protagonismo no cenário nacional. O evento coloca em discussão diversas propostas que viabilizam o desenvolvimento do Rio Grande do Sul para os próximos 13 anos.

O encontro foi coordenado pelo ex-prefeito de Porto Alegre, José Fortunati; pelo presidente da Famurs Luciano Pinto; coordenador do Projeto RS 2030 e ex-prefeito de Canoas Jairo Jorge e pelo coordenador geral da Famurs, José Odair Scorsatto.

O presidente da Famurs explicou que a agenda RS 2030 foi iniciada em setembro de 2015, mas foi retomada em março deste ano, para que os novos gestores das Administrações Municipais pudessem ouvir as sugestões e contribuir na elaboração do documento, que será entregue para os Governantes com as demandas de cada Região.

No mesmo sentido, Fortunati ressaltou que o Brasil está vivendo a pior crise econômica, justamente no momento em que os novos prefeitos assumiram. “Estamos cada vez, com menos recursos. Por isso é importante apontar os problemas e as soluções para que a região possa evoluir”.

O Coordenador geral da agenda RS 2030, Jairo Jorge, ressaltou que houve troca de Prefeitos em 75% das Prefeituras.

?
Coordenador geral da agenda RS 2030, Jairo Jorge (Foto: Elisangela Favaretto)

“A agenda quer definir o que efetivamente podemos fazer para melhorar no futuro. Esta é a quinta reunião da segunda rodada. 14 encontros já foram feitos. Não podíamos entregar um relatório, sem ouvir os novos gestores”.

Prioridades da Região:
Com base no questionamento “Que prioridades e estratégias a Região deve buscar para contribuir, até 2030, com o desenvolvimento do RS?”, foi aberto o espaço para que as lideranças pudessem elencar os anseios.

O vice-prefeito de Encantado, Enoir Cardoso, discursou sobre a segurança pública, a conclusão da UTI e o êxodo rural. “Nós temos quase 23 mil habitantes e às vezes ficamos vários dias sem policiais para atender as ocorrências. Nós estamos presos pela criminalidade. Os empresários não investem por medo. Na saúde, temos que trabalhar pelo andamento da construção da UTI, que é um projeto regional que vai diminuir o déficit de leitos. Outra preocupação está em manter a juventude no interior, mas sem acesso asfáltico, internet e com energia elétrica precária, fica difícil”.

O Prefeito de Roca Sales, Amilton Fontana, comentou que 85% dos gastos em saúde são do município. “Deve se investir 15% em saúde, mas duvido que algum município da região investe menos de 23%. Quanto a segurança pública, nós só temos dois profissionais que trabalham num turno. Já tivemos 12 profissionais. A burocracia é tão grande, que o preso é solto antes mesmo do policial chegar em casa. Uma das possibilidades seria a instalação de câmeras de videomonitoramento, que conseguem cuidar da cidade com menos pessoas. Essa mesma burocracia desanima os pequenos agricultores que não conseguem investir nas suas propriedades”.

Para o Prefeito de Nova Bréscia, Marcos Martini, “com pouco dinheiro não podemos ajudar nas obras locais. Temos os mesmos problemas dos outros municípios. É preciso sentar com a comunidade e fazer um trabalho de gestão. O jovem não quer sair do interior, mas não tem internet e nem telefone. O jovem não tem motivação para ficar”.

Já o Prefeito de Relvado, Odi Paulo Lorenzini, destacou que tem dado vários incentivos para que os agricultores fiquem no município. Uma das suas primeiras ações ao assumir o governo, foi reunir as comunidades para ouvir os anseios.

O Prefeito de Vespasiano Corrêa, Marcelo Portaluppi, comentou que “até o final do ano que vem, todas as comunidades terão energia elétrica trifásica. Quase 100% do município tem sinal de internet. A nível regional, precisamos lutar pela duplicação da ERS 129, pelo menos até Encantado; apoiar as obras da construção da UTI e no turismo trabalhar por infraestrutura, para o que Viaduto 13 seja reconhecido como um dos principais pontos turísticos do Estado”. Sobre as câmeras de segurança, destacou que ajudam a inibir, mas o problema está na legislação.

O Prefeito de Coqueiro Baixo, Jocimar Valer, ressaltou que o município é essencialmente agrícola, tem problemas com êxodo e sucessão rural, pois as famílias estão envelhecendo. Além disso, precisam do acesso asfáltico que está licitado desde 1998.

Quanto a segurança pública, o Vice-prefeito de Itapuca, Delavir Scorsatto, disse que o município não tem nenhum brigadiano. “O município pertence a região de Soledade que atende cinco cidades. Não tem como pensar em desenvolver sem segurança. Estamos colocando câmeras para tentar inibir”. Outro problema citado é a emissão da nota fiscal eletrônica por parte dos produtores, “os pequenos agricultores não sabem mexer na internet e muitos locais nem tem sinal. Como vão emitir uma nota fiscal?”.

De Muçum estava o assessor jurídico Felipe Giaretta, que comentou sobre o novo pacto federativo. “Os recursos vão para a União e as obrigações ficam nos municípios. Também temos o problema do êxodo rural, precisamos segurar a população e gerar renda e emprego”. Outro assunto comentado foi o Turismo. Pela proximidade de Muçum, com o Vale dos Vinhedos, está sendo trabalhada a estruturação da Rota do Pão e Vinho.

O Secretário do Planejamento de Teutônia, Ricardo Wagner, destacou a carência no recolhimento dos dados dos municípios e afirmou que é necessário ter planejamento para a Região se juntar e gerar recursos. O Vereador Tiago Bertotti de Doutor Ricardo, afirmou que é necessário gestores realmente preocupados com a política. Para a Presidente da Câmara dos Vereadores de Encantado, Jaqueline Taborda, está na hora da classe política se fortalecer. O Prefeito de Cruzeiro do Sul, Lairton Hauschild e o prefeito eleito de Arvorezinha, Roberto Facchinetto, destacaram que os seus municípios sofrem as mesmas consequências dos outros. O Secretário da Fazenda de Encantado, Luciano Moresco, falou sobre o pacto federativo e o repasse dos governos para os municípios.

Por fim, o Presidente da Amturvales, Rafael Fontana, destacou que é necessário diminuir a burocracia no Estado. Também argumentou sobre a importância do Vale do Taquari na produção de alimentos e a falta de infraestrutura e logística na região. Sobre o turismo, concluiu sua fala destacando que “o turismo precisa ser visto como uma atividade econômica que pode agregar na economia. O município e o Estado são motivadores, mas quem faz acontecer são os empreendedores”.

As próximas reuniões serão realizadas em São Gabriel e Guaporé.

Texto: Portal Região dos Vales