Segurança Mulher Estrela

Varal expõe e faz alerta sobre situações de violência contra as mulheres

Varal denuncia os casos de violência contra a mulher

Iniciativa da Rede de Enfrentamento busca promover a consciência, educação e engajamento da sociedade

As roupas pretas estendidas no varal representavam o luto por um cenário de violência que ainda vivem as mulheres. Em Estrela o 25 de novembro – Dia Internacional de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher – foi marcado por ações para assinalar a data e levar informações à população. A Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher ocupou espaços públicos para mostrar esta realidade, a fim de promover a consciência, a educação e o engajamento. Junto ao terminal dos micro-ônibus, no Centro, e na Praça Menna Barreto, o varal com roupas e cartazes apresentava a realidade do país e do município.

O Brasil é o quinto país no mundo que mais mata mulheres e, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), das vítimas de feminicídio, 31% estavam na faixa dos 20 aos 29 anos, e 23 tinham entre 30 e 39 anos. Outros dados expostos revelam que é em suas casas que 70% dos casos de agressão contra as mulheres ocorrem. No ano passado foram feitos mais de 145 mil registros de violência física, sexual, psicológica e de outros tipos, em que as vítimas sobreviveram.

A Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher de Estrela foi reativada neste mês e propõe criar um espaço para refletir e realizar ações de enfrentamento, bem como organizar os fluxos de atendimento. O projeto reúne diversas entidades governamentais e da sociedade civil, numa iniciativa do Centro de Referência Especializada de Assistência Social (Creas), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação. Em Estrela, conforme o órgão, de agosto de 2018 até novembro deste ano houve a notificação de 95 casos de violência contra a mulher para a Vigilância Epidemiológica. As informações são registradas por este órgão por se tratar de saúde pública e, a partir dos dados coletados, é possível pensar em políticas públicas mais eficazes. Durante a ocupação dos espaços, nesta quinta-feira, profissionais dos diversos serviços e entidades que fazem parte da rede também prestaram informações e orientações à população.

 

 

Texto e fotos: Paulo Ricardo Schneider
Assessoria de Imprensa Prefeitura de Estrela