Vacinação Destaques Lajeado

Vigilância Epidemiológica alerta para vacinação contra a febre amarela em Lajeado

A Secretaria da Saúde de Lajeado, por meio da Vigilância Epidemiológica, informa que o município está em alerta para a febre amarela, doença que é transmitida por diferentes espécies dos mosquitos Aedes e Haemogogus. O alerta foi emitido pela Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul, que identificou a circulação do vírus selvagem em municípios da região.

Para evitar a propagação da doença é necessário que a população procure pela vacina contra a febre amarela, que está disponível em cinco postos de saúde de Lajeado. O esquema vacinal desse imunizante prevê a aplicação de duas doses – a 1ª dose aos nove meses e a 2ª dose aos quatro anos. No entanto, pessoas maiores de 5 anos devem obrigatoriamente ter o registro de pelo menos 1 dose da vacina, independente do tempo de aplicação.

Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Juliana Demarchi, neste momento a cobertura vacinal do município para pessoas de 9 meses à 59 anos está em 77,38%, sendo necessário para a segurança da população no mínimo 95%.

– A vacina está inserida na rotina de vacinação e disponível nas Unidades de Saúde. Solicitamos que todos revisem suas carteiras de vacinação e caso não tenham registro busquem a Unidade de Saúde – falou Juliana.

No caso de gestantes, puérperas e idosos, é necessário apresentar a avaliação médica, já que a definição de vacinação deve ser baseada no risco/benefício e a liberação deve ser por escrito, sendo apresentada no momento da vacinação. É importante atentar para o intervalo de 15 dias entre a aplicação da vacina contra Covid-19 e demais vacinas.

Sintomas de febre amarela:

Os sintomas iniciais incluem febre súbita, calafrios, dor de cabeça, dor nas costas, dor no corpo, náuseas, vômitos e fraqueza.

Nos casos da forma mais grave da doença, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos.

Quem deve se vacinar:

– Pessoas a partir dos cinco anos de idade devem ter registro de pelo menos 1 dose para serem consideradas imunizadas. Quem tem mais de cinco anos e não tem o registro na carteirinha de vacinação de nenhuma das duas doses, deve fazer vacina que nesta idade será feita em dose única

– Crianças de nove meses devem fazer a 1ª dose e crianças de quatro anos devem fazer a 2ª dose