Saúde Meio Ambiente Estrela

Vigilância Epidemiológica atua na prevenção à Dengue

Vigilância Ambiental e Epidemiológica realizou mais de 2,2 mil visitas no ano, em busca de larvas do mosquito

Combate ao mosquito transmissor é feito por meio de visitas domiciliares e realização do LIRAa

A Vigilância Ambiental e Epidemiológica da Secretaria da Saúde de Estrela segue atuando no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue. A equipe da vigilância realiza visitas rotineiras e estratégicas a cada 15 dias a distintos pontos do município e em outubro também foi realizado mais um Levantamento de Índice Rápido de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), cujo resultado foi divulgado nesta semana.

Na ação são realizadas visitas surpresa a residências de quarteirões sorteados de todos os bairros urbanos da cidade. São então coletadas amostras de água parada que possam conter larvas de mosquitos. Em 2017 foram realizados dois LIRAas, com 1.049 imóveis visitados. Em 2018 o número mais que dobrou, para 2.231 visitas. Em 2019 foram 2.240. As amostras de água parada que possam conter larvas de mosquitos são então encaminhadas para análise no laboratório da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde do Estado.

No quarto e último LIRAa do ano, foram 584 vistorias em imóveis de 13 bairros, onde foram coletadas 34 amostras de larvas. Destas, segundo o exame técnico, seis deram como positivas para a presença de larvas do Aedes aegypti. Por este motivo, a coordenadora em Saúde de Estrela, Carmen Hentschke, responsável pela Vigilância Ambiental e Epidemiológica, reforça o pedido para que a população se empenhe, junto com os órgãos governamentais, no combate à proliferação do mosquito, através da eliminação da água parada em embalagens, potes, pratos de plantas, garrafas e nos pátios das residências. “Tanto a quantidade das amostras coletadas, que aumentou, como também o resultado da análise laboratorial das mesmas, são preocupantes, pois tivemos casos positivos para 17,6% delas”, diz. Conforme Carmen, o município se encontra em situação de alerta. Segundo ela, houve o registro em alguns bairros, mas a proliferação leva perigo a toda cidade e interior pois os mosquitos voam e podem facilmente se espalhar. Mais informações pelo telefone 3981-1136.

 

Texto: Assessoria de imprensa