Educação RSS Destaques Lajeado

“Vivências Olímpicas” ocorre em setembro e deve movimentar 480 crianças

Atletismo é um dos esportes que farão parte do “Vivências Olímpicas” (Foto:  Tuane Eggers)
Atletismo é um dos esportes que farão parte do “Vivências Olímpicas” (Foto: Tuane Eggers)

A Univates, em parceria com a Prefeitura de Lajeado, realiza um evento inspirado na Olimpíada do Rio de Janeiro. A atividade, intitulada “Vivências Olímpicas”, ocorrerá nos dias 13, 14 e 15 de setembro. As modalidades serão disputadas no Complexo Esportivo Univates e devem movimentar cerca de 480 estudantes do quarto ano do Ensino Fundamental de Lajeado.

A iniciativa surgiu no período da passagem da Tocha Olímpica pela cidade, em julho. Com o intuito de oportunizar experiências que lembrassem os Jogos Olímpicos e fomentassem o esporte, a Secretaria de Educação (SED) de Lajeado, os cursos de Educação Física (Bacharelado e Licenciatura) da Univates e a coordenação do projeto Escolas Esportivas organizaram o evento.

Durante os três dias de jogos pelo “Vivências Esportivas”, os alunos terão contato com esportes como atletismo, rugby, vôlei, basquete, handebol, ginástica artística, modalidades aquáticas e vôlei sentado — atividade que integra os Jogos Paralímpicos. A escolha desses esportes se deu para ir além do já tradicional futebol.

“Nas idades iniciais da vida, a criança deve ser estimulada a praticar de forma mais diversificada possível os esportes e demais atividades corporais”, explica Rodrigo Rother, coordenador do Escolas Esportivas. Antes da competição, o esporte deve ser um divertimento. “Nessas idades, o mais importante é se divertir, criar o gosto pela atividade física”, complementa Rother.

Para o coordenador do curso de Educação Física – Licenciatura da Univates, Derli Neuenfeldt, com a estrutura oferecida pela Instituição, os estudantes poderão conhecer detalhes das modalidades, como as especificidades dos aparelhos de ginástica artística. “Temos um potencial enorme de infraestrutura para as crianças na Univates. É uma experimentação que nas escolas elas não teriam.”

Texto: Ascom Univates