Produção Destaques Muçum

Após dois anos, emoção da Paixão de Cristo retorna ao Morro da Matriz de Muçum

Suspenso devido a pandemia, espetáculo teatral volta com grande expectativa e a participação demais de 70 atores

Depois de um hiato de dois anos, a “Paixão de Cristo de Muçum” volta a ser encenada no Morro da Igreja Matriz, na área central do município. O espetáculo a céu aberto, que teve suas últimas temporadas adiadas em função da pandemia de Covid-19, será apresentado na sexta-feira Santa, 15, a partir das 20h.

Coordenado há 20 anos pela Associação Muçunense de Artes e com financiamento da Prefeitura Municipal de Muçum, a encenação relembra os últimos momentos de Jesus, retratando passagens bíblicas conhecidas como, a cura de doentes, a ressurreição de Lázaro, além de episódios inéditos como a chegada de Pilatos em Jerusalém, a tentativa de acabar com os planos do sumo-sacerdote Caifás e o pedido de perdão da mãe de Judas Iscariotes.

O caminho até o calvário, a crucificação e a ressurreição também ganharam novas cenas. Entre os participantes do elenco está Cristian Rodrigues, que desde 2018 interpreta o papel principal, Jesus. Ele encara sua participação no espetáculo de maneira séria e conta como está sendo retornar após a pausa. “Foram dois anos bastante duros para todos. Não foi fácil ficar esse tempo todo sem nos reunirmos. Além do mais, a Paixão de Cristo já faz parte da vida da comunidade muçunense”, garante.

Participando há 20 anos, Renan Lucas Nardin, que interpreta o governador Pôncio Pilatos falou sobre a sensação de estar de volta ao teatro após o período de pausa forçado pela pandemia. “A gente estava louco para voltar aos palcos e reencontrar o público. O maior desafio vai ser controlar a emoção em cena”, confessou Nardin, que também preside a Associação Muçunense de Artes, idealizadora do evento, e contracena com sua esposa na vida real, Letícia, que interpreta na peça a mulher do governador, Cláudia.

Conforme o diretor do espetáculo, Ranieri Moriggi, a retomada da encenação está sendo vista com grande expectativa. A pausa da peça e os desafios do seu retorno também serão exploradas no espetáculo. “A gente não via a hora de voltar. Tivemos muitas baixas no elenco, mas também, muitas chegadas.

O que estamos preparando para o dia 15, vai muito além de uma peça teatral. É a entrega da doação e do carinho que temos pela arte, cultura e pela nossa fé”, afirma. A peça teatral é apresentada em cenários grandiosos, como o Palácio de Herodes, o Fórum Romano e o Sinédrio.

Com duração de aproximadamente duas horas, a peça será encenada no morro em frente ao salão paroquial. Para melhor acomodação, é orientado que a população venha com cadeiras. Não há cobrança de ingresso.

 

Crédito das imagens: Luis Gustavo Betinelli

Add Comment

Clique aqui para deixar um comentário

Por favor, preencha o campo *