Comércio Encantado Destaques

Assembleia da ACI-E aprova contas de 2020 e apresenta plano de ação para 2021

A Associação Comercial e Industrial de Encantado (ACI-E) realizou, na noite de terça-feira (30),
a assembleia geral ordinária de prestação de contas da gestão 2020. O encontro ocorreu no
formato virtual pelo aplicativo Google Meet.

Na primeira parte, o diretor financeiro, Fábio Pretto, explanou sobre o balanço financeiro do
exercício do ano passado, com números referentes às receitas e despesas. A prestação de
contas recebeu parecer favorável do Conselho Fiscal e também foi aprovado por unanimidade
pelos associados.

Na sequência, o conselheiro Rafael Fontana fez um relato das principais atividades realizadas
no período em que ele esteve à frente da entidade. Fontana chamou atenção para o
envolvimento da ACI-E no desenvolvimento de ações de enfrentamento à pandemia, entre
elas, a mobilização para a liberação de leitos de UTI no Hospital Santa Terezinha e a
coordenação do grupo de apoio ao Centro de Operações Emergenciais (COE), criado com o
objetivo de definir estratégias para preservar a saúde dos encantadenses em meio ao avanço
do coronavírus.

O presidente de 2020 também destacou as iniciativas realizadas pelos Núcleos setoriais da ACI-
E (Saúde do Vale, Mulheres Empreendedoras SuperAção e Jovens Empreendedores); a
mobilização, em conjunto com a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul
(Federasul), se posicionando contra os projetos de aumento de impostos propostos pelo
governo do Estado; a criação do Comitê do Futuro e a oportunidade de a Associação indicar o
nome do presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), o
advogado Luciano Moresco.

“A ACIE se transformou num gigante nesse período todo, muito em função de todas as pessoas
e empresas que se dedicaram nos momentos mais críticos”, salientou Fontana. “Conclamamos
para que todos continuem colaborando com a diretoria. Mais do que nunca, a ACI-E tem
mostrado a importância do associativismo para o desenvolvimento da cidade e da região”,
avaliou.

Ações para 2021

A presidente Maria Cristina Castoldi apresentou alguns projetos que integram o plano de ação
para 2021. Entre eles, a criação de dois novos núcleos setoriais, o de Recursos Humanos e o de
Turismo; o fortalecimento dos três Núcleos já existentes, com a contratação de uma
consultora especialista no programa Empreender; o trabalho, em parceria com a Federasul,
para manter a cogestão nos municípios, a partir da classificação das bandeiras no modelo de
distanciamento controlado do governo do RS, e a busca pela flexibilização das restrições
impostas ao funcionamento do comércio; a retomada do Grupo de Apoio ao Associado (GAA),
com a participação de profissionais voluntários de diferentes especialidades; o debate, em
conjunto com a Federasul, sobre as novas concessões das rodovias, com a possibilidade de
duplicação das ERS 129/130/453 e a retirada da Praça de Pedágio de Encantado; a melhoria
nas redes de telefonia e internet; a parceria com a RGE a fim de atender as demandas dos
consumidores; e, ainda, o Comitê do Futuro, com envolvimento do poder público,
universidade, lideranças empresariais e a comunidade em geral, com a intenção de implantar
um programa de desenvolvimento econômico local para os próximos anos.

“As recentes dificuldades enfrentadas pela população fizeram com que ficasse mais aparente a
importância e a força do associativismo no nosso meio empresarial. E o quanto juntar forças e
enfrentar juntos foi primordial para amenizar o impacto gerado por esses acontecimentos”,
afirmou Maria Cristina.

Respaldo ao associado é fundamental

O vice-presidente, advogado Alex Herold, elogiou o novo modelo de gestão desenvolvido pela
entidade e comentou que a pandemia continua exigindo muito esforço da diretoria no
trabalho de apoio e defesa do associado. “Por isso é fundamental o respaldo que temos dos
Conselhos e da equipe de colaboradores da ACI-E. O nosso desafio é dar suporte aos interesses
imediatos do associado diante dessa pandemia insistente. Nunca podemos perder de vista,
como empreendedores que somos, a necessidade de se olhar para frente e desenvolver novos
projetos para quando tivermos superado esse momento”, acrescentou.

 

Ascom ACI-E