Aedes Aegypti Destaques Bom Retiro do Sul

Bom Retiro do Sul colhe resultados no combate ao mosquito transmissor da dengue

No começo do mês de abril, chegou ao conhecimento da Secretaria Municipal da Saúde de Bom Retiro do Sul, o primeiro caso de suspeita de dengue. Na ocasião ficou o fiscal Mestre das Ciências Msc Alessandro Martins, da Vigilância Sanitária Municipal, responsável pela organização de um plano de ação de combate ao aedes aegypti.

Em 5 de abril, antes mesmo do primeiro caso confirmado, foi apresentado ao prefeito Edmilson Busatto, o plano de ações no que tange a temática do combate ao aedes aegypti, um plano focado em ações imediatas que reduziriam o potencial de proliferação do mosquito.

Após a identificação dos casos suspeitos o plano baseou-se na organização de mutirões de limpeza, seguido de ações orientativas realizadas pelas agentes de saúde municipais. Logo na primeira semana, aproximadamente 300 moradias do bairro onde surgiram casos suspeitos, haviam sido visitadas pelas agentes.

A Secretaria de Saúde ressalta que durante as visitas, as agentes de saúde também acolheram denúncias por parte dos moradores, que eram repassadas ao setor de Vigilância Sanitária, que por sua vez fazia as investigações.

No decorrer das primeiras semanas de ação, outro servidor público foi treinado e deslocado para suprir a demanda de Agentes de Combate a Endemias. A Secretaria de Saúde passou a contar também com o apoio técnico/orientativo da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde e do CEVS (Centro Estadual de Vigilância em Saúde).

A CEVS deslocou quatro agentes estaduais para somar esforços no combate ao mosquito. A atuação destes agentes foi de suma importância, pois além de fazer pulverização com o equipamento UBV pesado, também houve capacitações e troca de experiências, que foram muito proveitosas ao município.

Das diversas ações realizadas, destaca-se a produção de vídeos educativos, veiculados na mídia municipal, assim como flyers com informações úteis e objetivas, com o objetivo de orientar a população a combater possíveis focos de Aedes aegypti em suas casas.

O município de Bom Retiro do Sul possui um considerável número de terrenos baldios e casas desabitadas. Diante deste cenário, foram emitidas notificações coletivas nas imobiliárias, solicitando que estas acionassem os proprietários dos imóveis em desuso para que fizessem revisão e limpeza dos mesmos.

Além disso, os setores de Fiscalização de Posturas e do Meio Ambiente formalizaram notificações para os proprietários de imóveis, reforçando a necessidade da revisão dos imóveis desabitados.

Com os dias e as ações em pratica, somado ao trabalho cooperativo das diversas secretarias envolvidas, os resultados foram se tornando visíveis, sendo estes medidos através da queda gradual do número de casos diários com o passar das semanas.

Mesmo com a grande queda do aparecimento de novos casos, em comparação a semana em que as ações tiveram início, o trabalho preventivo, orientativo e de fiscalização prossegue, com o objetivo de combater os focos do aedes aegypti.

A Secretaria de Saúde destaca ainda que o ano de 2021 será um marco para Bom Retiro do Sul no que diz respeito ao combate à dengue. Fica o aprendizado sobre os resultados que trabalho sério e focado pode trazer. Resumo geral das medidas de enfrentamento ao Aedes aegypti adotadas pelo município de Bom retiro do Sul:

1. Elaboração e execução de um plano de enfrentamento ao aedes, ainda
antes dos primeiros casos serem confirmados;

2. Visitação massiva nos bairros (começando pelos bairros onde surgiram
os primeiros casos suspeitos) por parte das Agentes Comunitárias de
Saúde. Atualmente a cobertura é superior a 2000 moradias, e já atingiu
todos os bairros do município;

3. Realizados mutirões de limpeza, e também ampliação do recolhimento de
lixo;

4. Notificação das imobiliárias do município para que as mesmas
veiculassem material educativo aos proprietários de imóveis desabitados
e terrenos baldios para realização de limpeza;

5. Aplicação de pulverização de inseticida UBV por parte do CEVS nos
bairros de maior ocorrência de casos de dengue. Ao todo foram 165
quarteirões cobertos pela pulverização;

6. Notificação individual por parte do setor de fiscalização de Posturas
e Meio Ambiente para a realização de limpeza de terrenos;

7. Veiculação de flyers e vídeos orientativos nas mídias sociais do
município;

8. Utilização de veículos de som alertando a população sobre a temática
do mosquito;

9. Atendimento e investigação de denúncias por parte da Vigilância
Sanitária e setor de Combate a Endemias. Ao todo foram mais de 80
denúncias atendidas;

10. Distribuição de material educativo sobre o Aedes aegypti aos alunos
da rede municipal de ensino;

11. Aquisição de equipamentos, e aplicação pontual de produtos de
controle do mosquito (bloqueio) sob coordenação dos Agentes de Combate a
Endemias;

12. Distribuição de repelentes para gestantes em combate ao aedes.