Saúde Destaques Teutônia

Centro Municipal de Fisioterapia agiliza atendimentos, reduz fila de espera e estende horário até às 22h

Centro funciona junto ao Centro Avançado de Saúde (CAS) do bairro Canabarro, das 7h30 às 22h, e conta com quatro profissionais qualificados. Desde outubro de 2021 à março de 2022 já foram realizados mais de 2 mil atendimentos

Desde novembro de 2021, Teutônia conta com um Centro Municipal de Fisioterapia, que foi criado a partir de uma parceria firmada com a Saúde Univates, através da cedência de equipamentos e da contratação de 3 profissionais qualificados que atuam no espaço, juntamente com a responsável do centro, a fisioterapeuta Letícia Ruebenich de Quadros Diehl, a fim de ampliar o acesso e agilizar os atendimentos ofertados pela rede pública municipal.

Com a implantação do centro foi possível reduzir o tempo de espera dos pacientes que aguardavam por atendimentos de recuperação e reabilitação. Outra grande mudança, que gerou impacto na agilidade da prestação de serviços, foi a oferta de agenda no turno da noite, sendo que os pacientes são atendidos, por agendamento, no turno na manhã, a partir das 7h30, tarde, e noite, até às 22h.

Desde a criação do centro, em outubro de 2021, a equipe já realizou 1996 atendimentos no CAS e 372 atendimentos no Posto de Saúde Anna Antoni, no bairro Boa Vista, que também oferece o serviço. Além de ampliar o acesso ao serviço, a equipe também realiza ações que visam a promoção à saúde e prevenção de doenças e agravos.

Através do Centro de Fisioterapia o município já encaminhou todas as pessoas que estavam na fila de espera há meses, sendo que, os novos pacientes encaminhados aguardam, em média, de 5 a no máximo 30 dias para iniciar o tratamento, de acordo com a classificação de prioridade.

Como funciona o fluxo de atendimento?

O fluxo de atendimento inicia através da consulta médica, onde o paciente é avaliado pelo médico da atenção básica, que realiza o encaminhamento ao serviço de fisioterapia, quando identificada a necessidade. A partir do encaminhamento, o paciente entrega a solicitação na recepção do posto de saúde em que foi atendido, o qual encaminha para o Centro de Fisioterapia. No local, o caso é avaliado pela fisioterapeuta do município, que direciona e agenda os atendimentos, de acordo com os critérios clínicos de prioridade.

O que mudou?

Além de ampliar a capacidade de atendimento das demandas, devido a contratação de mais profissionais, foi possível reduzir o tempo de espera pelo serviço e aumentar os grupos de atendimento que visam a reabilitação das pessoas, além de promover ações de promoção à saúde e de prevenção de doenças e agravos. Os grupos existentes foram criados a fim de contribuir com a reabilitação da saúde da coluna, saúde pélvica e, no mês abril, a equipe começará a participar do grupo de Gestantes do CAS e nos grupos da EMATER.

A finalidade destes grupos, que atendem uma média de 6 a 8 pessoas por grupo, de forma coletiva, é dar continuidade ao tratamento iniciado no serviço de saúde, em que os  profissionais elaboram um plano de cuidados para reabilitação e exercícios de prevenção.

Como os pacientes avaliam os serviços?

A paciente Inês Maria Flach, do bairro Canabarro, já finalizou o tratamento e avalia positivamente o serviço. “Fui sempre muito bem atendida pelos profissionais da Univates no CAS. Passei por 3 cirurgias, em função de uma fratura que sofri no braço, e depois que retirei a tala, não conseguia mexe-lo, mas agora já consigo fazer tudo normal novamente, saí de lá outra pessoa. A equipe de profissionais está de parabéns, nota 10. A profissional que me atendeu era sempre muito pontual, querida, atenciosa, com um serviço muito bem realizado. E além disso, foi muito rápido para começar o tratamento”, relata a Inês.

A mãe do paciente Marco Aurélio Klein, a senhora Nelci Planthold Klein, de Linha Gamela, ressalta a importância do atendimento domiciliar, pois o filho sofre de atrofia cerebral e está acamado há mais de 10 anos. “Ficamos 2 anos sem atendimento, por causa da pandemia, e percebemos como a fisioterapia fez falta para ele, que acabou regredindo por causa disso. Estamos muito felizes que o serviço voltou a ser realizado em casa, é muito importante pra gente. Estamos muito satisfeitos com o novo profissional, da Univates, que está realizando as visitas, pois ele nos atende muito bem, é atencioso com o Marco, conversa com ele, verifica tudo, é muito querido, ele é nota 100, e espero que ele sempre continue. É muito bom!”, ressalta.

A paciente Rejani Terezina Diedrich, moradora do bairro Canabarro, sofre de tendinite em ombro, tinha muita dor no braço, principalmente após uma queda, que agravou sua situação. Ela estava há algum tempo na fila de espera, mas com a criação do centro de fisioterapia agilizou o início do seu tratamento. “Como tinha muita dor, fui fazendo pilates, após orientação médica, para dar início ao tratamento, pois a fila era muito grande. Percebo que após a criação do centro de fisioterapia, agilizou o atendimento, e pude começar a fazer as sessões de fisioterapia. Ainda tenho um pouco de dor, mas já melhorei muito. A profissional é muito querida, atenciosa, sempre fui muito bem atendida. Ela me ajuda, me orienta, me ensinou exercícios que posso fazer em casa, que agilizam a recuperação. Gostei muito do atendimento desta fisioterapeuta”, relatou.

 

Add Comment

Clique aqui para deixar um comentário

Por favor, preencha o campo *