Investimento RS Destaques

CIC Vale do Taquari e Codevat buscam apoio para garantir avanços no programa de concessão de rodovias RS

A Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari vem se manifestando com muita preocupação em relação ao Programa Avançar RS, que visa a implantação de 22 novas praças de pedágio nas rodovias gaúchas. Nesta quinta-feira (5) o presidente da entidade, Ivandro Carlos Rosa  e o presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari, Luciano Moresco estiveram  reunidos com representantes do governo do Estado, Ministério Público, Assembleia Legislativa, Federação das Empresas de Logística e Transporte de Cargas do RS (FETRANSUL) e  Associação dos Usuários de Rodovias no Estado do RS (ASSURCON).

Participaram o coordenador da Frente Parlamentar em Defesa dos Usuários de Rodovias Concedidas do Rio Grande do Sul, deputado Pepe Vargas, e o presidente da Comissão de Segurança e Serviços Públicos, deputado Edegar Pretto, o secretário-chefe da Casa Civil, Artur Lemos; secretário de Parcerias, Leonardo Busatto;  de Logística e Transportes, Juvir Costella, de Desenvolvimento Econômico, Edson Brum, chefe de gabinete do governador, Marcelo Alves e o Procurador Geral de Justiça, Marcelo Dornelles.

O encontro proposto pela procuradoria-geral de Justiça do Ministério Público atendeu a um pedido da Comissão de Serviços Públicos da Assembleia Legislativa. O grupo relatou as reclamações da região e de todo Estado quanto ao programa que intenciona conceder 1.131 km de rodovias estaduais para a iniciativa privada pelo prazo de 30 anos.  O secretário Busatto afirmou que o Estado está analisando as mais de 1500 sugestões que foram apresentadas na consulta popular.

Pontos sugeridos pela CIC VT para serem analisados: 

A CIC VT entregou um ofício ao governo defendendo os seguintes pontos:

-elaboração prévia de Projeto Básico, após ouvidos Municípios e comunidades, não observado no Plano de Obras apresentado no presente Programa;

-rodovias, trechos e obras básicas reivindicados,

-cobrança eletrônica dos pedágios – free flow;

-não adoção da outorga;

-isenção de ICMS e de ISSQN nas tarifas de pedágio;

-pontos adicionais também importantes: Conselho de Usuários (já no edital), nos perímetros urbanos, proteção da rodovia com guard rail, vias laterais, ciclovias, passarelas e calçadas afastadas da rodovia e, não haver a cobrança a maior do valor da tarifa em pistas duplicadas.

Dia 16 de agosto está prevista uma nova audiência pública em conjunto com Assembleia e governo.  O presidente da CIC VT informou que ainda não recebeu a devolutiva das reivindicações apresentadas, por isso ainda não é possível avaliar o quanto avançamos e o que precisamos focar, após a primeira rodada de discussões.

Foto: Divulgação

Add Comment

Clique aqui para deixar um comentário

Por favor, preencha o campo *