Reunião Destaques Estrela

Concessão de rodovias estaduais pauta reunião-almoço da Cacis

Pauta regional sobre o projeto e concessão de rodovias estaduais foi abordada pelo secretário extraordinário de Parcerias do Governo do RS, Leonardo Busatto

A concessão de rodovias estaduais da região foi a pauta da segunda reunião-almoço do ano promovida pela Câmara de Comércio, Indústria, Serviços e Agronegócios (Cacis) de Estrela nesta quinta-feira, dia 17 de fevereiro, no Estrela Palace Hotel. O tema foi abordado pelo secretário extraordinário de Parcerias do Governo do Rio Grande do Sul, Leonardo Busatto.

Na oportunidade, associados da Cacis e comunidade regional, dentre eles, vários representantes e autoridades dos municípios do Vale do Taquari, puderam conhecer mais detalhes sobre a concessão das rodovias estaduais da região. A concessão envolve as rodovias RSC-453, ERS-128 (Via Láctea), ERS-129 e ERS-130. Elas integram o lote 2 de concessões, junto com estradas das regiões de Passo Fundo e Erechim, com previsão de investimento aproximado de R$ 3,9 bilhões.

Em sua fala de abertura, a presidente da Cacis, Andreia Zwirtes Kich, enalteceu que o Vale do Taquari é uma região promissora, em franco desenvolvimento, mas que ainda tem muitas carências, especialmente de mobilidade. “O Estado está planejando investimentos importantes, como duplicações, melhorias em acessos, entre outros, para as nossas rodovias. É preciso pensar no coletivo, na região como um todo, para que esta concessão seja viável e, principalmente, benéfica para todos que dependem ou utilizam as rodovias estaduais do Vale do Taquari”, afirmou.

Busatto apresentou resumidamente os projetos contemplados com a concessão das rodovias e lembrou que o Vale do Taquari está em uma janela de oportunidades. “Se houver demora, o processo de concessão pode não ser concluído este ano. E o próximo governo pode entender que esta demanda não é prioritária ou poderá reiniciar todo o processo, o que demandaria pelo menos mais dois anos sem investimentos significativos na região, mantendo o modelo que hoje está vigente, com a EGR”, advertiu.

A previsão do Piratini é lançar o edital para leilão entre março e abril, para que todo o processo ocorra ainda este ano e o atual governo ainda possa assinar o contrato, garantindo investimentos significativos a partir do próximo ano. “Embora o processo de concessão ainda esteja em discussão, a inclusão de outras demandas, como a ERS-332, requer tempo de estudo, reiniciar vários processos e o projeto, o que pode atrasar em pelo menos dois anos toda a concessão”, expôs, acrescentando que a recuperação da rodovia, após análise do Estado, possa ser feita com recursos próprios.

O presidente da CIC Vale do Taquari, Ivandro Carlos Rosa, colocou que a concessão fará muita diferença para o Vale do Taquari. “Nós falhamos nesses 10 anos de criação da EGR em não nos reunirmos e definirmos investimentos, como as duplicações, nas nossas rodovias. Temos tarifas consideravelmente altas e não temos a entrega de investimentos por parte da EGR. Neste olhar estamos avançando, procurando atender as demandas da nossa região. Temos que olhar para frente e buscar o melhor projeto para a região”, enalteceu.

O prefeito de Estrela, Elmar Schneider, foi enfático afirmando que não há nenhuma intenção em dividir o Vale do Taquari em parte alta e parte baixa. “O que não podemos é ficar parados. Já perdemos muito até agora com individualidades. É menos fogueira e mais equilíbrio, mais Vale do Taquari, antes que o Estado entenda que a região não mereça os investimentos previstos até agora por meio da concessão”, ressaltou.

A reunião-almoço é uma realização da Cacis Estrela, com apoio do Governo de Estrela, Sicredi Ouro Branco, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e CIC Vale do Taquari.

Add Comment

Clique aqui para deixar um comentário

Por favor, preencha o campo *