Solidariedade Região Destaques

Fundo Filantrópico, da Sicredi Integração RS/MG, contempla 144 entidades com mais de R$ 650 mil

Os mais de R$ 650 mil reservados pela Sicredi Integração RS/MG para o Fundo Filantrópico já têm destino definido. A cooperativa contemplou 144 entidades neste ano, cujo repasse dos recursos iniciou na última semana através de entregas simbólicas em cada agência da regional, as quais tem reunido pequenos grupos de representantes das instituições beneficiadas para evitar aglomerações.

A agência Lajeado – Centro realizou o primeiro de seus dois encontros na última sexta-feira (23), quando convidou gestores de 13 entidades favorecidas para uma confraternização. Na ocasião, o gerente Paulo Wickert comentou sobre o grande número de inscritos no pleito e a necessidade de se priorizar os projetos relacionados à educação, saúde e segurança. “É uma escolha complexa. A gente tentou ser o mais justo possível. É uma pena que não conseguimos atender a todos na integralidade, mas o valor que foi doado já é relevante e vai fazer muita diferença pra quem recebeu”, declarou.

Entre os beneficiados na agência do Centro está a Fundação para Reabilitação das Deformidades Crânio-Faciais (Fundef), que em sua proposta solicitou auxílio para melhorias na sala de espera da nova sede da instituição. Segundo a gerente administrativa Dorli Maria Diehl, o local recebe atualmente, em média, 120 pacientes por dia, número que sobe para 250 quando somados seus acompanhantes. Por se tratar de crianças e idosos que necessitam de várias consultas e que muitas vezes enfrentam uma longa viagem até a cidade, a sala de espera é um espaço de descanso e distração, que até o momento não conta com a estrutura ideal para esse fim. Assim, o projeto envolve a aquisição de televisor para a área interna e brinquedos e móveis para parte externa, onde inclusive será possível desenvolver atividades lúdicas com os pequenos que estão em tratamento. “Desta vez a gente pensou muito nos nossos pacientes e em garantir que a estadia deles na Fundef seja mais acolhedora e que passe mais rápido. Queremos alegrar esse espaço que por si só já é bem pesado “, explica Dorli. Citando projetos já beneficiados nos anos anteriores, ela avalia o impacto dos recursos do Fundo Filantrópico para as entidades: “Eu acho que esse projeto traz a possibilidade de proporcionarmos um atendimento melhor, aperfeiçoando as relações humanas. Por menor que seja o valor, para nós é muito importante, porque todas as instituições que recebem têm dificuldade”.

Já em Travesseiro, o Círculo de Pais e Mestres da Escola Municipal de Ensino Fundamental Pedro Pretto teve aprovado o projeto “O som da minha escola”, através do qual será ampliado o acervo de instrumentos disponíveis para as aulas de Música. De acordo com a diretora da escola, Gisele Vendramin, a atividade integra a grade curricular semanal dos alunos do 1º ao 6º ano, que até o momento utilizam instrumentos adquiridos em outras ocasiões ou itens produzidos pelas próprias crianças a partir de materiais reutilizáveis. “As aulas de Música são o xodó. Elas são práticas, alegres e as crianças anseiam muito por este momento, participando com entusiasmo”, revela Gisele. Sua afirmação é complementada pelo professor William Bayer, que ministra a atividade e ressalta o papel da música como ferramenta de auxílio no processo ensino-aprendizagem. “A música promove sentimentos de bem-estar, desenvolve a atenção e concentração, estimula a criatividade, ativa a memória e o raciocínio lógico, integrando corpo e mente e desenvolvendo competências socioemocionais”, resume. Conforme ele, com o valor recebido por meio do Fundo Filantrópico, serão adquiridos Ukulelês, que são instrumentos de fácil manuseio por todas as turmas e muito utilizados em composições contemporâneas: “Desta forma, através deste projeto, buscamos o retorno, manutenção e a continuidade das atividades musicais em nosso município”. Esse impacto na comunidade é destacado pela diretora ao falar sobre o significado de ser uma das instituições beneficiadas pela Sicredi, especialmente porque os recursos recebidos do poder público são escassos: “Esta não é a primeira vez que somos beneficiados, mas em todas elas utilizamos os valores em prol das crianças, melhorando a qualidade da educação, ampliando os materiais e possibilitando o acesso a tudo que precisam para aprenderem e evoluírem, o que vai refletir em toda a sociedade. Com esse auxílio, a gente sempre consegue fazer algo a mais”.

Total de entidades contempladas por agência/município:

Rio Grande do Sul

Boqueirão do Leão – 10

Canudos do Vale – 7

Cruzeiro do Sul – 17

Forquetinha – 5

Lajeado / Centro – 26

Lajeado Conventos – 8

Lajeado Empresas – 2

Lajeado Florestal – 4

Lajeado São Cri – 11

Lajeado Univates – 1

Marques de Souza – 3

Mato Leitão – 9

Progresso – 6

Santa Clara do Sul – 16

Sério – 7

Travesseiro – 4

Minas Gerais:

Cachoeira do Campo – 2

Conselheiro Lafaiete – 1

Itabirito – 4

Ouro Branco – 1

Add Comment

Clique aqui para deixar um comentário

Por favor, preencha o campo *