Economia Negócios Comércio Lajeado

Sindilojas VT está entre os 16 sindicatos que ingressaram na Justiça contra fechamento das lojas

Os prejuízos das empresas do comércio representadas pelo Sindilojas Vale do Taquari motivaram a entidade a ingressar, na última semana, com Mandado de Segurança Coletivo contra os decretos do Governo do Estado referentes ao fechamento das lojas. São ao todo 16 sindicatos varejistas do Rio Grande do Sul, os quais têm o apoio da Fecomércio-RS na iniciativa.
Após indeferido o pleito liminar para autorização para o funcionamento das empresas de estabelecimentos comerciais não essenciais, o grupo decidiu, nesta segunda-feira à noite (15), dar sequência com recurso, buscando um novo posicionamento das autoridades para evitar o fechamento de empresas e demissão de trabalhadores, situação que já ocorre em várias regiões.
“Estamos juntos nessa porque entendemos que é preciso fazer algo em prol da categoria, tão prejudicada pelas decisões que proíbem o atendimento dos clientes dentro das lojas ou até na porta (pegue e leve e drive-thru)”, destaca o presidente do Sindilojas Vale do Taquari, Francisco Weimer. Os sindicatos pedem tratamento isonômico, ou seja, que seja permitido o acesso, respeitado o teto de ocupação máximo e os protocolos de prevenção como definido para outros setores. Chamam a atenção que para as atividades de mercados, supermercados, farmácias, estabelecimentos de serviços agropecuários, veterinários e de cuidados animais foi mantido o atendimento de clientes no estabelecimento, prevendo o mesmo teto de ocupação das atividades não essenciais, ou seja, 1 (uma) pessoa, de máscara, a cada 8m2 de área útil de circulação.
Recentemente, o Sindilojas VT também negociou a prorrogação do banco de horas até 31/12/21 e a possibilidade de concessão ou adiantamento de férias sem a necessidade de aviso de 30 dias de antecedência. “Tudo para tentar manter empresas e empregos”, conclui Weimer.
Ascom Sindilojas